Minha caixinha da #TagLivros

Hoje eu quero te mostrar o presente que recebi da @taglivros! Chegaram as caixinhas de abril. Nem preciso dizer que fiquei mega feliz, né?! ❤🥰 Recebi os livros: TAG Inéditos: 📚 O Beijo do Rio, do @volp___, @harpercollinsbrasil TAG Curadoria: 📚 Indígenas de férias, do Thomas King, @dublinense - com projeto gráfico maravilhoso da @luisazardo Os livros vieram nos seus boxs colecionáveis, com marcador de página e com suas revistas, sobre o autor e obra. Adorei os detalhes e vou contar mais sobre eles nas resenhas. Recebi ainda como mimo dois quadrinhos com frases que eu adorei: Do Machado de Assis E do Fiodor Dostoiévski Que tal? Vem ler comigo! E olha só que legal, em julho a TAG Livros completará 8 anos! São noventa e seis meses e mais de duzentos e cinquenta mil leitores. Uau, que sucesso, parabéns!! E eu estou alucinada para conhecer e ler os dois livros prometidos ( na TAG Inéditos e na Curadoria) para a comemoração! Você também ficou curioso para saber quais serão? Posts relaciona

Clube da Leitura Companhia das Letras - Setembro

 

Olá queridos leitores!
Hoje foi dia do nosso Clube da Leitura Companhia das Letras. Aqui eu contei um pouco mais sobre a nossa história

Lemos e discutimos o livro Cartas para minha avó, de Djamila Ribeiro. Foi muito bacana, uma ótima discussão.


Este foi o primeiro livro que discutimos da Djamila no Clube e foi uma discussão muito afetiva, com direito às lembranças das nossas leituras, despertadas pela leitura. Este é o poder mágico do livro, pode também nos transportar ao passado, aos afetos vivenciados.

Por enquanto vou deixar para vocês a sinopse do livro e volto logo com a resenha.

SinopseNo mais pessoal e delicado de seus livros, a filósofa Djamila Ribeiro revisita sua infância e adolescência para discutir temas como ancestralidade negra e os desafios de criar filhos numa sociedade racista. O relato se dá na forma de cartas a sua saudosa avó Antônia – carinhosa e amorosa, conhecedora de ervas curativas e benzedeira muito requisitada. A cumplicidade que sempre houve entre avó e neta é o que permite que a autora rememore episódios difíceis, como a perda do pai e da mãe, as agressões que sofreu como mulher negra no Brasil e os desafios para integrar a vida acadêmica. Djamila também fala de relacionamentos amorosos e experiências profissionais, das músicas, das leituras e das amizades que a acompanharam em sua construção pessoal – e da percepção paulatina de que a memória das lutas e das conquistas das pessoas negras que vieram antes de nós é a força que nos permite seguir adiante.

É sempre um prazer mediar um grupo tão querido e especial.⁣⁣⁣⁣ Começamos em 2015, seguimos firmes e fortes, cheios de afeto, carinho e muita vontade de discutir estes livros maravilhosos!⁣⁣⁣⁣⁣

Em outubro vamos discutir Encaixotando minha biblioteca, de Alberto Manguel, lançamento da Companhia das Letras.







Comentários