Resenha: O Rei das Cinzas | Raymond E. Feist | Editora HaperCollins


Você gosta de ler livros sobre fantasia? Eu estou aprendendo a gostar mais. Hoje trago um bem bacana para mostrar para vocês.

Recebi um convite muito especial da minha amiga e mediadora de clubes de leitura, Danielle Vieira, para participar do seu novo clube em parceria com a querida Editora HarperCollins. Claro que topei na hora! O livro escolhido foi O Rei das Cinzas, de Raymond E. Feist.

Confesso que fantasia não é meu gênero literário favorito, mas me desafiei e estas leituras estão me surpreendendo, me fazem sair da minha zona de conforto.

Este é o primeiro livro da Saga dos Jubardentes, único lançado por aqui, por enquanto. Espero que os outros dois sejam lançados logo. O autor acaba de lançar o segundo, nos EUA.

Um tijolão de 512 páginas. No começo senti um pouco de dificuldade com esta leitura. Achei o começo meio arrastado. Raymond "engana bem" o leitor no primeiro capítulo, pois temos a impressão que teremos aqui uma saga medieval, épica, com lutas de cavaleiros por reinos distantes. Talvez elas até aconteçam nos outros livros, mas aqui não aconteceu. E depois do primeiro capítulo, o cenário mudou e ficou mais atrativo.

Temos três personagens principais: Hatu, Hava e Donte, três jovens alunos que treinam num ambiente controlado por antigos mestres. Hava é a única menina do trio e desperta sentimentos em Hatu. Os jovens são alunos de uma academia de artes mortais e assassinatos. São treinados em simulações de combates e relacionamentos entre eles são proibidos.

Hatu é o herdeiro dos Jubardentes, embora ninguém, nem mesmo ele saiba disso ainda. Escapou ainda recém nascido do mesmo fim trágico dos pais e irmãos, todos mortos após um processo de disputa de reinos. Ninguém sabe que ele sobreviveu, foi salvo pelo Barão Daylon, era amigo do seu pai, o Rei da Itrácia. Daylon traiu o amigo, não ficou ao seu lado naquela luta sangrenta e trágica, pois optou por salvar seu reino.

Da metade da trama para frente, surge um novo núcleo de personagens, o ferreiro Declan, meu personagem favorito. Um moço simples, mas batalhador, amoroso e determinado a construiu um futuro melhor.

O livro tem muita ação, certo suspense, magia, amizade, e muita aventura. Um toque de romance deixa a leitura ainda mais gostosa.

A trama tem um bom ritmo, a escrita do autor é fluida, a linguagem interessante e despertou meu interesse. Me peguei torcendo pelos personagens.

Esta foi uma leitura compartilhada com a minha filha Letícia. O fato de ler e discutir com ela, trouxa ainda mais graça à leitura. Ela gosta muito desta temática e também gostou muito do livro. 

A leitura me surpreendeu, gostei bastante. Recomendo esta leitura para quem gosta de livros sobre aventura. Quer ler? Já leu? Me conta, vou adorar saber.

Sobre o autor
Raymond E. Feist é um dos nomes mais importantes da história da literatura fantástica. Nasceu no Sul da Califórnia e, atualmente, vive em San Diego. Foi também em San Diego que se formou, com honras, em Ciências da Comunicação em 1977. Tendo sido traduzido em mais de trinta países, Mago foi o seu primeiro livro e serve de base para uma vasta obra que tem conquistado, ao longo dos anos, as listas de bestsellers do New York Times e do Times of London. Quando não está escrevendo, Raymond E. Feist é um colecionador de DVDs, estudioso da história do futebol americano, fã de ilustração e um grande apreciador de bons vinhos.

O Rei das Cinzas
Autor: Raymond E. Feist
Tradutor: Ana Cristina Rodrigues
Ano: 20138
Páginas: 512
Editora: HarperColins
Minha avaliação: 4/5
Adicione no Skoob
Para comprar: Amazon 

Participam também do BEDA: Lunna Obdulio | Chris | Drica | Neto | Darlene Carol | Ale

Comentários

  1. Oi, Clauo!

    Esse eu não conhecia, digo, o livro, porque o autor, Raymond E. Feist, é um dos meus queridinhos. Ele tem uma série de 4 livros que é MAGO e cada livro vem com uma inicial do nome MAGO. Eu comprei por causa do meu filho, eu chamava ele de Mago e comprei pra ele, mas quem começou a ler fui eu (rsrsrs). Pelo menos o primeiro volume - MAGO - O Aprendiz. Está esperando que eu dê continuidade. Mas, a história é bem dinâmica, parecida um pouco com o Senhor dos Anéis, naquele ambiente meio medieval, meio futurista e cheio de aventuras.
    Vamos ver se eu concluo a série logo mais...
    Esse aí, já está anotado aqui, devo gostar dele também!
    Xero,
    Drica.

    ResponderExcluir
  2. Clau, não sou de ler muita fantasia. Mas acho sempre válido tentar sair da zona de conforto literária. Pode render boas leituras e livros favoritos. E quando a gente tem companhia para "discutir" o livro, fica melhor ainda. Essa sua resenha me lembrou algumas partes do primeiro livro do Harry Potter. Bateu uma saudade! ♥ E achei essa capa bem bonita.

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário