Pular para o conteúdo principal

Eu Li: A Filha Esquecida

Olá!!
Hoje trago a resenha do livro A Filha Esquecida, de Armando Lucas Correa, Editora Jangada - Grupo Editorial Pensamento.

Sinopse
Em 1939, um casal vê seus sonhos destruídos quando os nazistas invadem a cidade de Berlim. Enquanto o marido Júlio é levado para um campo de concentração, a esposa Amanda foge para o sul da França, onde é obrigada a fazer uma escolha impossível. Após um tempo escondida, Amanda é levada pelas forças nazistas a um campo de trabalhos forçados onde precisa mais uma vez reunir forças para fazer um sacrifício heroico. Já em 2015, Elise, uma francesa que chegou a Nova York depois da Segunda Guerra Mundial, fica chocada ao descobrir que décadas de segredos de seu passado começam a vir à tona através de cartas escritas por sua mãe. A Filha Esquecida é uma saga familiar sobre o amor e a resiliência diante dos grandes desafios da vida. 
Eu estava doida para ler este lançamento da Editora Jangada, por dois motivos. Primeiro porque eu AMO livros sobre a segunda guerra mundial e também porque eu já tinha lido o livro anterior deste autor, A Garota Alemã e tinha favoritado. Você pode relembrar a resenha do livro A Garota Alemã aqui.

Foi uma leitura muito emocionante. Triste, bem escrita, uma trama que me fisgou e me fez ler até de madrugada (há tempos isso não acontecia). Simplesmente devorei o livro. Nos livros com a temática do holocausto, você já espera sofrimento, raiva, muita tristeza, mas os livros do Armando têm algo a mais, têm calor humano, tem empatia, esperança e tudo isso, numa escrita linda, que é um presente para quem lê.

Mais uma vez esta história é baseada em fatos reais. Alguns detalhes, como a viagem num transatlântico rumo à Cuba, fugindo da guerra em Berlim, aparecem nos dois livros, mas são histórias distintas.

Uma família tradicional alemã, que vive com o fantasma crescente da guerra e do horror, se aproximando cada vez mais. Julius, o pai, um renomado e competente cardiologista é preso, "seu crime", ser judeu. Amanda sua esposa, se vê sozinha com duas meninas pequenas e assim começa este drama tão bem escrito. Ela nem teve tempo de se recuperar da tristeza de perder sua livraria, que tinha o lindo nome de Jardim das Letras. Os livros foram todos queimados pelos alemães. Ela salva um dos livros, de botânica, o preferido do seu pai e este livro terá um papel simbólico e importante no desenrolar da trama.

Além dos personagens principais, a trama conta com personagens ótimos como o Padre Marcel, Claire e Danielle. Não vou entrar em detalhes, para não dar nenhum spoiler, mas gostei muito do universo criado pelo autor.

Um livro que fala sobre o amor materno e paterno, sobre superação, sobre confiança, segredos e expectativas. O pai ensina as meninas um truque para driblar o medo, e o livro têm várias passagens bonitas e poéticas como esta.
"Sempre que você tiver medo e seu coração estiver acelerado, comece a contar suas batidas. Conte-as e pense em cada uma delas, porque você é a única pessoa que pode controlá-las. À medida que aumentar o silêncio entre uma batida e outra, o medo vai começar a diminuir. Nós precisamos desses silêncios para existir, para pensar."
Gostei da forma como Armando estruturou seu livro, no início da trama, um encontro nos dias atuais e com o desenrolar dela, vamos acompanhando a história daquela idosa do primeiro capítulo, até então uma desconhecida para os leitores. 

Achei a capa belíssima, gostei da combinação de cores. Ela é bem diferente da edição original, aliás, muito mais bonita, na minha opinião. Linda edição da Jangada, que sempre capricha nas suas produções. Boa diagramação, páginas amarelas, letras em tamanho confortável. Enfim, um lindo livro.

Ano passado tive o prazer de fazer uma entrevista com o autor, por e-mail, para a Editora. Armando é muito atencioso nas redes sociais também, respondendo os comentários e repostando nossas postagens. Amei esta leitura e recomendo para que gosta desta temática. Comecei super bem minhas leituras em 2020 :)
Sobre o autor
Armando Lucas Correa é jornalista premiado, autor e editor-chefe da People en espanõl, a revista hispânica mais vendida nos Estados Unidos. Também é editor da revista cubana Tablas, sobre dança e teatro. Ele já recebeu vários prêmios da Associação Nacional de Publicações Hispânicas e da Sociedade de Jornalismo Profissional. Correa é o principal porta-voz da revista e aparece regularmente em programas de TV americanos. A Garota Alemã é seu livro de estréia.
A Filha Esquecida
Autor: Armando Lucas Correa
Ano: 2019 
Páginas: 384
Editora: Jangada
Classificação 5/5 - Favoritado
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob
Para comprar: Editora Jangada
Com esta resenha encerro minhas participação, na parceria de 2019 com o Grupo Editorial Pensamento. Esta é uma das minhas editoras preferidas. Eu AMEI nossa parceria e já fico na expectativa e torcida pela renovação da parceria para 2020.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#TBRdeJunho

O que você pretende ler em junho? Você costuma fazer #TBR? Sabe o que é uma TBR? A sigla TBR significa To Be Read. Ou seja, são os livros que você deseja ler. Muitas pessoas montam suas TBR mensais. Confesso que não tinha o costume de fazer a minha, mas estou me aventurando. Alguns livros furam a fila, outros demoram um pouco mais para serem lidos e tudo bem, tenho esta flexibilidade. Estas são as leituras que programei para este mês! Pretendo acrescentar outros no decorrer do mês, mas a princípio estes são os livros que eu tenho certeza que vão me acompanhar:⁣⁣ ⁣⁣ 📖 Água fresca para as flores, Valérie Perrin, @intrinseca - para a nossa Leitura Coletiva MãeLiteratura #LCmaeliteratura⁣⁣ 📖 Na Estrada com o ex, Beth O´Leary, @intrinseca ⁣⁣- para o Clube da Leitura MãeLiteratura⁣⁣ 📖 Lar em chamas, Kamila Shamsie, @Grua_livros - para o #12livrospara2022 de junho 📖O que é que ele tem, Olívia Byington, @editora_objetiva, para o nosso Clube @CompanhiadasLetras deste mês⁣⁣ 📖 Maria Bonita,

Nossa Semana #22

Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana por aqui. Uma semana com vários eventos lindos! Teve Clube da Leitura, musical, circo, muito trabalho, ótimas leituras e aconchego, semana de friozinho gostoso por aqui.   Eu amo organizar minhas leituras e estou usando o Diário de Leitura , que recebi em parceria com a Fina Folha Papelaria . Adoro os produtos desta papelaria mais que especial! Aqui um pouquinho das leituras desta semana. Com este tempinho frio, que eu amo, aproveito para fazer sopas. Adoro este tipo de jantar. Aqui uma sopa de grão de bico com calabresa. Ficou uma delícia. Na quarta feira tivemos a segunda discussão do nosso Projeto Jorge Amado, As Mulheres de Jorge Amado, em parceria com a Companhia das Letras. Discutimos o livro Dona Flor e seus dois maridos. Foi muito sensacional!   Na sexta feira, eu, a Letícia, minha irmã Fernanda e a Bia, minha sobrinha e afilhada, assistimos a reestreia de PETER PAN, O MUSICAL, no Teatro Alfa. Foi lindo!⁣  Leia o post complet