Sebastopol - #12livrospara2019 - Novembro

Olá!
Hoje trago para vocês a resenha do livro Sebastopol, de Emilio Fraia, da nossa parceira Editora Alfaguara, Grupo Companhia das Letras.

Escolhi este livro para ser o livro de novembro da nossa TAG #12livrospara2019. Esta TAG é uma parceria com os blog Mundinho da Hanna e Pacote Literário. Não deixe de passar nos blogs das meninas para conferirem suas postagens!
Todo dia 12 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A idéia é ler preferencialmente livros que são meus e esperam na fila de leitura.
 
Sinopse
Uma escaladora sofre um acidente no Everest que muda o rumo de sua vida e, anos depois, assiste a um vídeo de uma artista desconhecida que parece narrar a sua história. Um homem, de passagem por uma pousada desativada no centro-oeste brasileiro, desaparece misteriosamente, e aos poucos ficamos sabendo de sua vida pregressa. Uma jovem e um velho diretor de teatro escrevem juntos a história de um pintor russo que nunca chegou a terminar uma de suas principais obras. “Dezembro”, “Maio” e “Agosto”. Com seus cantos de sombra, os três contos de Sebastopol tratam de vidas que mudam bruscamente, de anseios cambiantes, de um momento histórico turvo, em que as promessas de futuro parecem mutiladas, interrompidas. São histórias dentro de histórias, acidentadas biografias que, colocadas lado a lado, sugerem uma visão singular do nosso tempo.
Sebastopol é um livro diferente composto por três contos singulares. Estava curiosa para conhecer a escrita do Emilio Fraia, que é um dos editores da Companhia das Letras. Como este livro está concorrendo ao Prêmio Jabuti 2019, resolvi que estava mais do que na hora de lê-lo e aqui estamos. Gostei muito deste livro diferente.

Os contos são independentes, mas me desertaram alguns sentimentos em comum, a desilusão, a frustração de projetos, uma certa solidão e melancolia. Expectativas frustradas e sonhos interrompidos permeiam estas três histórias interessantes e diferentes.

Dezembro é o primeiro conto. Lena é uma escaladora que quer chegar ao topo do Everest e sofre um grave acidente. Foi agoniante e ao mesmo tempo curioso acompanhar suas lembranças e vivências. Uma dose de romance, de flerte, observações sobre um final de semana na praia com os amigos, a personagem apresenta uma certa confusão do que é real e do que é sonho, uma certa melancolia presente que me deixou triste.

O segundo conto, Maio, por algum motivo foi o que mexeu mais comigo e foi o meu preferido. Uma história mais nostálgica. Um conto sobre solidão e desencontros. Nilo é o dono de uma pousada abandonada, vive sem família, apenas na companhia de um empregado, na agonia da venda eminente da propriedade para um vizinho, bem sucedido na plantação de eucaliptos. Um dia é surpreendido com a presença de um casal que quer se hospedar na pousada. Após a partida da mulher, Adán, o homem, permanece mais um tempo na propriedade e troca reminiscências de sua vida no Peru com Nilo. Desaparecimentos, morte, doenças são sugeridas neste conto.

O último conto, Agosto, narrado por uma jovem mulher, conta sua aproximação com Klaus, um velho diretor de teatro. Acompanhamos suas expectativas, preparação para uma peça de teatro, a busca pelo sucesso e a possibilidade de fracasso.

Posso dar a impressão de uma tristeza sem fim com esta leitura, mas os contos não são apenas tristes não. Eles tem profundidade e sugestões intricadas e por isso mesmo mexeram tanto comigo.

Adorei a capa, diferente, intercalada, representa bem os contos, gostei da combinação de cores. Boa diagramação da Alfaguara, páginas amarelas, letras em tamanho confortável.

Emilio é dono de uma escrita bonita, limpa, forte e vigorosa e seus os contos são muito bem escritos. Eu recomendo muito esta leitura inquietante e reflexiva. Estou na torcida pela premiação do livro!

Sobre o autor
Nasceu em São Paulo em 1982. É autor do romance O verão do Chibo, em parceria com Vanessa Barbara (Objetiva/Alfaguara, 2008, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura). Foi repórter das revistas  Trip  e  piauí e, atualmente, colabora com a revista Bravo! Colaborou na editora Cosac Naify, onde editou ficção contemporânea. Em 2012, foi um dos vinte autores selecionados para a edição “Os melhores jovens escritores brasileiros” da revista britânica Granta.

Sebastopol 
Autor: Emilio Fraia
Ano: 2018
Páginas: 120
Editora: Alfaguara
Adicione no Skoob
Para comprar: Alfaguara
Minha avaliação: 5/5

Comentários

  1. O Clau, lendo a sinopse achei mesmo um livro diferente. Gostei da proposta de serem 3 contos. Melhor ainda quando são histórias dentro de histórias.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook /

    ResponderExcluir

Postar um comentário