Pular para o conteúdo principal

Entrevista com o escritor Fabio Monteiro

Olá!!
Hoje é dia de entrevista aqui no blog. 
Nosso convidado é o autor Fabio Monteiro
Fabio é professor de história e escritor de livros para infância e juventude. Em 2016 foi contemplado com o Prêmio Jabuti na categoria juvenil com o livro Cartas a povos distantes (2º lugar). O livro também recebeu o selo Altamente Recomendável da FNLIJ. 
Conheci o trabalho do Fabio através do seu livro O Clube dos livros esquecidos e já pela sinopse fiquei muito curiosa para ler seu livro. 
Fabio aceitou nosso convite e hoje conta um pouco sobre seu trabalho e seus projetos. Vamos conferir?

Olá Fábio, por favor, apresente-se para nossos leitores.
Agradeço o convite do blog de Mãe Literatura para essa entrevista e o espaço para conversar com seus leitores. 
Minha escrita perpassa pela necessidade de construir acessos as minhas memórias de criança, meu olhar crítico em relação à infância na atualidade e a construção de uma narrativa que possa convidar o leitor a pensar sobre seus dilemas e a imaginar tempos mais profícuos. Esse desafio que primeiro passa por questões que desejo remexer em meus "baús", reinicia  nas mãos dos leitores convidados a complementarem minhas histórias usando suas fantasias, poesias e experiências. 
Por isso, convido todos vocês a adentrarem no meu quintal e brincarem com minhas histórias. 

Como surgiu a ideia de escrever o livro O Clube dos livros esquecidos? Como foi o processo de criação?
O clube dos livros esquecidos é um livro muito especial e demandou alguns desafios. O primeiro dele foi compreender quais caminhos queria seguir em relação à história e o encantamento que os livros e as leituras trazem para os leitores. Desejava contagiar o leitor com a experiência singular da leitura, mas não gostaria de construir uma moral do tipo "leia, isso é importante para sua formação!". Desejava que esse contato fosse contagiante e partisse do prazer em encontrar boas histórias, compartilhando sensações, emoções e descobertas, e isso, só foi possível quando desenhei a personalidade da  Flora, personagem capaz de imaginar sem limites, preconceitos ou convenções o contato com as personagens que saltam dos livros e brincam com nossa imaginação. 
Ao longo da história descobri outras possibilidades de lidar com suas construções imaginativas e conduzir o leitor numa narrativa que alguns momentos comprovam suas expectativas e em outros,  joga com surpresas convidando-os a imaginar mundos diferentes do seu mundo. Essa foi minha segunda missão; desafiar o leitor a se livrar dos seus preconceitos para aceitar a condução da história por uma personagem singular e que encontra seu espaço nesse clube de leitores imaginados. 
Penso que outro desafio foi encontrar alguém que pudesse narrar essa história de maneira visual. Tive o prazer dessa narrativa ser acompanhada pelas ilustrações delicadas da Elma, trazendo leveza para o leitor e possibilidade dele construir essa história para além do escrito. 

Como é seu contato com os leitores? 
Esse é um aspecto muito especial do meu trabalho. O ofício de escritor é muito solitário e, em minha opinião, só se completa quando o livro chega às mãos dos leitores. As histórias são incompletas sem a contribuição imaginativa desses leitores e o livro pode cair no esquecimento até encontrar alguém interessado em desvelá-lo. Quando sou convidado para dialogar com eles, constato que as histórias são maiores que minhas elaborações e tomam dimensões imaginativas em planos não imaginados por mim e constato que o livro pertence ao leitor. Gosto de escutar o que pensaram na leitura, quais as angústias e receios,  suas emoções ou recusas da história. 
O leitor é o recomeço de tudo e após esses encontros, tenho mais vontade de reencontrar meu silêncio para dar voz a outras histórias. 

Fábio, parabéns pelo prêmio Jabuti 2016, pelo livro Cartas a povos distantes. Conte um pouco mais sobre este livro.
Cartas a povos distantes é um livro que demorei muito para escrever, acredito que por ser historiador e desejar que minha imaginação superasse meu repertório do tema. O desafio era construir uma narrativa de infâncias que se encontram em tempos delicados. Giramundo do Brasil vive num país saindo de uma ditadura militar e seu amigo numa sangrenta guerra civil, mas esse pano de fundo importante, não poderia superar o tema principal: a delicadeza dos encontros improváveis. 
Por isso, esse menino que deseja conhecer o mundo, recebe uma carta que o surpreende por ser de Luanda e por um remetente desconhecido, um enigma a ser decifrado. É o começo para construção de campo de emoção desconhecido por ele, um lugar que remete ao encontro com o outro, um lugar que o remete a um encontro com suas lógicas, sentimentos e limites. 
Há muito que desejava tocar nesse tema, por ser uma possibilidade em dialogar com uma geração de jovens cujo a tela do computador/celular é mais visto que os olhos de amigos, pais e irmãos, num tempo de relações voláteis, num tempo de tantas confusões ideológicas, políticas e segregações raciais e desrespeito as diferenças. Foi uma chance em pensar sobre a importância das amizades verdadeiras e como o outro é importante e deve ser apreciado e valorizado na nossa vida. 
O Livro é mais especial por ter o André Neves como ilustrador, amigo de infância e grande profissional, constituído pela singularidade de sua arte e competência em transformar sentimento em imagens.

Conte sobre projetos em andamento e/ou futuros.
Tenho viajado pelo Brasil para conversar com leitores, mediadores de leitura e professores. Os próximos encontros acontecerão em abril em Porto Alegre/RS, Goiânia (GO), Anápolis (GO) e Bienal Internacional do Livro em São Paulo. 
Além disso, dois livros estão em processo de produção e tenho a honra em compartilhar esses projetos com duas queridas ilustradoras brasileiras, mas, por enquanto, não posso falar mais profundamente sobre o assunto por tratar de segredo editorial(risos) Só posso dizer que estou feliz e acredito que os leitores também ficarão com as novidades! 

Muito obrigada pela entrevista, Fabio! Espero conhecê-lo pessoalmente na Bienal deste ano.
Adorei saber mais sobre seus projetos. Fiquei ainda mais curiosa e quero ler todos os seus livros.

Acompanhe Fabio Monteiro nas redes sociais


Comentários

  1. Oi Clauo, acho super legal quando podemos dar espaço aos escritores nacionais. Ainda se tem muita a ideia de que literatura brasileira se resume aos livros que lemos na escola na disciplina de literatura e são "uó". Mesmo com tantos títulos geniais saindo a todo tempo pelas editoras e independentes, ainda precisamos divulgar mais e mais que tem escritores muito bons surgindo por aí, muitos até bem pertinho de nós... =)
    Com relação ao Fabio, amei saber da profissão dele e que ele é ganhador de prêmios. Meus parabéns e muito sucesso a ele. E fico feliz em saber que ele continua produzindo livros a todo vapor. =)
    Bjks!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hanna!
      Sim! Concordo com você.
      Volto logo com as resenhas dos livros do Fabio
      Bjs

      Excluir
  2. Gente, amei o nome desse livro. Me lembrou um dos livros do Zafon que li.
    Não o conhecia... mas vou conhecer porque com um título desses 'O clube dos livros esquecidos', não dá para deixar passar.

    bacio

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#EsmalteseLivros - Junho

  Olá!! Hoje é dia da nossa querida postagem TAG Esmaltes e Livros. Este ano conto com participações super especiais.  Além das nossas postagens mensais aqui no blog, você pode participar e seguir a TAG #esmalteselivros no Instagram e nas redes sociais. Continuamos com as duas formas de usar a TAG. Você pode simplesmente combinar o esmalte com o livro que você está lendo. Se quiser também pode participar do nosso DESAFIO TEMÁTICO. A cada mês teremos um tema diferente, que você pode usar de "fundo" para a sua foto. Ou pode combinar a capa com o nome do esmalte, você que escolhe como prefere criar suas composições de fotos. Aqui no BLOG a postagem vai ao ar sempre na terceira segunda-feira do mês. Esmaltamos as unhas, lemos ótimos livros, tiramos fotos legais. Participe você também, vou adorar sua companhia! Escolhas da  Leticia :  "O esmalte é  o Tapete Vermelho, da @esmaltecolorama. Fácil de passar, gosto de passar três mãos pra não ficar muito transparente. O livro é o

Abracinho

  Eu fiquei apaixonada pelo Projeto Abracinho ! O Abracinho é um projeto que nasceu para levar afeto em forma de agradecimento e viabilizar recursos para as grandes instituições do Brasil que atuam na linha de frente contra o câncer infantil, como: Hospital GRAACC, Hospital Erastinho, Hospital Napoleão, Hospital da Baleia e Instituto do Câncer Infantil. Para doar é simples, escolha quantos Abracinhos deseja receber. Você doa e recebe os Abracinhos cheios da nossa gratidão. São vários modelos! Conheça a família Abracinho e faça a sua doação. Assista abaixo, o vídeo que fiz no nosso canal do YouTube: 🐰Na Luta contra o câncer infantil, cada Abracinho conta. Você pode ver as Instituições beneficiadas nos destaques no Instagram e no site. Abrace com a gente esta causa. Acompanhe o Abracinho nas redes sociais: Site Instagram Facebook Que tal, vamos ajudar? Você pode comprar seus livros na  Amazon  pelo nosso  LINK . Não paga nada a mais por isso e ajuda a manutenção do  BLOG:   Clique aqui