Resenha: Encaixontando Minha Biblioteca, Alberto Manguel, Companhia das Letras


Olá queridos leitores!

Hoje eu trago para vocês a resenha do livro Encaixotando minha biblioteca, de Alberto Manguel, Editora Companhia das Letras
 
Sinopse: Grande declaração de amor aos livros e à leitura, Encaixotando minha biblioteca fala sobre a importância dos livros em nossa vida e como são fundamentais para o desenvolvimento da sociedade. No verão de 2015, Alberto Manguel se preparou para mais uma mudança: ele sairia de sua casa medieval no Loire, na França, e passaria a morar em um apartamento em Nova York. Sua biblioteca pessoal, com cerca de 35 mil volumes, teria que ser guardada. Nesse momento, o escritor começa a relembrar sua relação com os livros e as bibliotecas (públicas e privadas) que já passaram por sua vida, apresentando aos leitores uma elegia apaixonada.
As reflexões de Manguel variam amplamente, desde as adoráveis idiossincrasias dos bibliófilos a análises mais profundas de eventos históricos, como o incêndio da antiga Biblioteca de Alexandria. Com perspicácia e carinho, o autor ressalta a importância dos livros e seu papel único para uma sociedade democrática e engajada.


#ResenhaMaeLiteratura

Nosso livro de outubro do Clube da Leitura Companhia das Letras.⁣

Um livro diferente sobre o amor do autor pelos livros. Dono de um acervo, com mais de 35 mil livros, Alberto se vê obrigado à encaixotar a sua biblioteca, pois tinha que mudar de residência. ⁣

Alberto contou com a ajuda do seu parceiro e de vários amigos que vieram auxiliar na difícil empreitada.

Reflexões sobre livros, sobre a simbologia de guardar livros, sobre dicionários, livros antigos, fazem parte deste texto. Uma declaração de amor à literatura. ⁣

Gostei muito do capítulo que ele conta que quando jovem, foi leitor de Borges, lia para o famoso escritor, na época deficiente visual.

Os capítulos que contam sobre os dicionários e sobre o incêndio da Biblioteca de Alexandria também me chamaram a atenção.

Amei a capa e o formato do livro. Destaque para a edição linda e caprichada da Companhia, que me lembrou a finada e amada Cosac Naif e para a tradução competente de Jorio Dauster.⁣

Sobre o autor:
Nasceu em 1948, em Buenos Aires, e é hoje cidadão canadense. Passou a sua infância em Israel, devido ao seu pai ser embaixador argentino nesse país. Completou os estudos no Colégio Nacional de Buenos Aires, nunca chegando a frequentar qualquer curso universitário. Em 1968 transferiu-se para a Europa e, à excepção de um ano em que esteve de volta a Buenos Aires, onde trabalhou como jornalista para o periódico La Nación, viveu na Espanha, França, Inglaterra e Itália. Enquanto esteve na Europa ganhou a vida como leitor para várias editoras como a Gallimard, Denöel, Les Lettres Nouvelles, em Paris, Calder & Boyars em Londres e exerceu o cargo de editor estrangeiro na Editora Franco Maria Ricci em Milão. Autor de livros de ficção e não ficção, também contribui regularmente para jornais e revistas do mundo inteiro. Atualmente vive em Buenos Aires, onde é diretor da Biblioteca Nacional.

Assista abaixo, meu vídeo sobre o livro, no nosso canal do YouTube:

Já leu? Quer ler? Me conta!⁣

Encaixotando minha biblioteca⁣
Leitura #102 de 2021
Autor: Alberto Manguel⁣
Tradutor: Jorio Dauster
Editora: Companhia das Letras⁣
Páginas: 184
Ano: 2021
Livro cedido pela editora
Minha avaliação: 4/5 
Adicione no Skoob
Para comprar: Amazon | Companhia das Letras



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

#EsmalteseLivros - Setembro

Até 2023, BEDA!!