Resenha: Anna Kariênina | Liev Tolstói | Cosac Naif


A resenha de hoje é do livro Anna Kariênina, escrito por Liev Tolstói entre 1873 e 1877. Ele estava na minha biblioteca há tempos e eu aguardava uma inspiração para a leitura. Ela veio com o convite do querido Christian Assunção e o seu projeto Calhamaços Clássicos.


Embarquei na leitura, porque ler este tipo de livro em conjunto com outros leitores é muito melhor que ler sozinha. Tive companhias muito especiais na leitura, a Letícia, a Karla, do Pacote Literário e a Claudia foram companheiras especiais nesta viagem deliciosa.

Foi uma grande satisfação chegar à 100% da leitura deste livraço! Uma trama cheia de reviravoltas, intrigas e disputas, que prendeu minha atenção. A Companhia das Letras lançou uma edição com a mesma tradução desta que eu li e está linda também!


Cinco motivos para ler este livro
📖 
Um calhamaço clássico, bem escrito e numa linguagem fácil e muito acessível, o que me surpreendeu muito, pois imaginava que a linguagem seria mais complexa. O mais difícil foi entender os nomes e apelidos de cada personagem.
📖 Tolstói construiu um cenário muito interessante da sociedade russa da época, com personagens interessantes e complexos, que despertam simpatia e antipatia no leitor, é impossível ficar indiferente a eles..
📖 Temos vários núcleos familiares, eles se entrelaçam e acompanhamos o cotidiano destes personagens.
📖 Questões como adultério, honra, traições, relacionamentos são bem trabalhadas na trama, nos mostrando o pensamento que reinava naquele tempo.
📖 Quanto menos você souber da história, mais aproveitará esta leitura, portanto não leia a sinopse dele antes da leitura.


“Todas as famílias felizes se parecem, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.” Com esta famosa abertura, somos apresentados aos personagens desta trama rica de detalhes e de passagens interessantes.

Ambientada nas cidades de Moscou e de São Petersburgo, mostra o homem no campo e na cidade e seus costumes, bem como a sociedade da época.

Meu personagem favorito é Lievn. Dono de uma personalidade singular, me arrancou risadas, ternura e muitas reflexões. 

Por incrível que pareça este foi o primeiro livro que detestei a protagonista, que dá título à trama. Li outros livros com personagens difíceis, mas achei Anna ardilosa, manipuladora e muito egoísta. Infelizmente não consegui nutrir a menor simpatia por ela, do começo ao fim da trama. Nem por ela e nem pelo seu núcleo de personagens. 

A edição é muito especial. Desenho interno na primeiras páginas. Composto de apresentação, oito partes, árvore genealógica e lista de personagens, usei bastante e ambos me ajudaram muito na leitura. Informações sobre o autor e sugestões de leitura completam o livro.
Esta edição belíssima da finada e sempre lembrada Cosac Naif é um dos meus xodós. Capa dura lindíssima, é um grande livro em todos os sentidos, 28cm X 18 cm, 814 páginas.

Esta edição, assim como os outros livros da Cosac Naif se tornou objeto de colecionadores, mas você pode encontrar este livro na Companhia das Letras (com a mesma tradução que eu li, do Rubens Figueiredo), na Martin Claret

Já sinto saudades dos personagens e ao mesmo tempo, me sinto realizada por poder concluir esta leitura. Recomendo esta leitura. Leia e me conta o que achou, vou adorar saber.

Sobre o autor
É considerado um dos maiores escritores de todos os tempos. Além de sua fama como escritor, Tolstoi ficou famoso por tornar-se, na velhice, um pacifista, cujos textos e ideias batiam de frente com as igrejas e governos, pregando uma vida simples e em proximidade à natureza. Junto a Fiódor Dostoiévski, Gorki e Tchecov, Tolstói foi um dos grandes da literatura russa do século XIX. Suas obras mais famosas são Guerra e Paz, sobre as campanhas de Napoleão na Rússia, e Anna Karenina, onde denuncia o ambiente hipócrita da época e realiza um dos retratos femininos mais profundos e sugestivos da Literatura. Morreu aos 82 anos, de pneumonia, durante uma fuga de sua casa, buscando viver uma vida simples.

Ficha Técnica
Livro 102/100
Título: Anna Kariênina
Autor: Liev Tolstói
Tradutor: Rubens Figueiredo
Editora: Cosac Naif
Páginas: 336
Classificação: 5/5 estrelas
Adicione no Skoob

Comentários

  1. Clauo, essa leitura para mim foi bem diferente, pois me transportou não apenas para um mundo totalmente diferente do nosso, como também para um estilo literário diverso, com outra proposta. Talvez por isso não tenha funcionado tão bem, mas adorei as suas impressões.

    ResponderExcluir

Postar um comentário