Resenha: Enquanto Eu Respirar | Ana Michelle Soares | Editora Sextante


Recebi um material de divulgação do Outubro Rosa e quando comecei à ler, percebi que era sobre este livro, que estava na minha lista de desejados desde o seu lançamento. A Editora Sextante, gentilmente me mandou um exemplar e eu simplesmente devorei "Enquanto eu respirar".

Este é um livro sobre a vida, sobre respeito e sobre enxergar além do câncer.

Gosto muito de ler sobre histórias de pacientes, sobre tratamentos oncológicos e cuidados paliativos. Eles fazem parte da minha história profissional e já li vários livros técnicos, alguns escritos por médicos que viraram pacientes, mas nenhum com a clareza, a sensibilidade e a coragem desta moça, de quem aprendi a gostar, durante a leitura.

Com esta leitura entro em contato com um universo que quase não conhecia e que pouco tinha visto nas mídias sociais, o das pacientes metastáticas, ou seja que tiveram um novo diagnóstico, do retorno do câncer (metástase), agora em outro órgão do seu corpo.

Foi com surpresa que visitei vários perfis no Instagram e descobri pessoas com histórias lindas, emocionantes e cheias de vida. Que lição maravilhosa eu recebi. São pessoas que tiveram um encontro real com a fragilidade e se tornaram mais fortes, mais resilientes e, porque não, mais vivas, inteiras.


Segundo AnaMi a ditadura da cura é uma das coisas que mais atormenta o paciente oncológico, embora seja o status mais sonhado e desejado.

No livro ela aborda temas muito importantes para qualquer doença, como tratamento humanizado, a relação médico/paciente, confiança, expectativas. Fala ainda sobre a alma e sobre aspectos emocionais.

A postura do familiar, seu sofrimento e como lidar com o doente também merecem destaque e atenção. É este olhar sensível e tão lúcido que me encantou nesta leitura.

"Antes uma vida curta por inteiro do que uma longevidade pela metade."

O livro conta a sua história e da Renata, amigas que se conheceram durante o tratamento oncológico e que juntas criaram o "PaliAtivas", um perfil no Instagram para contar não só sobre o tratamento, mas sobre a vida, sobre amizade. Trata sobre a possibilidade de morrer bem, de se despedir, de falar abertamente sobre morte e despedida , com leveza, humor e uma certa dose de sarcasmo.

No primeiro capítulo a autora deixa claro que este livro não é sobre câncer, nem sobre lista de desejos, ou perfil no Instagram, mas é sobre querer chegar ao fim com a certeza de que a vida foi uma experiência extraordinária. Sensação esta que todos deveríamos ter e sentir SEMPRE!

Foi neste momento que ela me conquistou e eu embarquei numa leitura repleta de emoções, intensidade, amor, dor e vida, vidas que valem a pena serem vividas, com risos, com humor, com lágrimas, músicas, passeios e viagens.


Ana Michelle, ou AnaMi, é uma jornalista jovem, divorciada, que em 2011 descobriu um câncer de mama e partir daí viu sua vida mudar. Renata, uma professora, casada, dona de um humor vibrante. Se conheceram num grupo de discussão do Facebook e ambas passaram pelo mesmo período, da descoberta de um câncer metastático.

A perda dos cabelos, os relacionamentos afetivos, os familiares, a expectativa de ter filhos (ambas não têm), as viagens, os sonhos, tudo que jovens e inteligentes mulheres vivenciam durante um tratamento crônico é narrado de forma clara e muito lúcida. Franca, AnaMi conta sobre sobre medos, inseguranças e sobre caminhos por vezes tão tortuosos.

Após assistir o filme The Bucket List, AnaMi tem a ideia de fazer uma lista com a Renata, das coisas que elas desejam realizar. Com a progressão da doença da amiga, AnaMi propõe que elas façam a sua lista. Este foi um dos capítulos mais bacanas do livro. Rir em Paris, um show do Chitãozinho e Xororó, entre outros desejos figuraram na lista. Renata acrescentou que queria receber a extrema unção do Padre Fabio e assim aconteceu.

Alguns desejos foram realizados após a morte de Renata aos 38 anos de idade. Interessante notar que ela falava que morreria primeiro para que a amiga tivesse chance de contar tudo o que queriam realizar. Renata pediu que a amiga postasse uma foto bem linda dela e escrevesse esta frase: O céu de Renata. Foi este o nome que recebeu o capítulo que conta sobre sua morte. Uma linda e amorosa homenagem.

Médicos arrogantes, tratamentos que não dão certo, a coragem de mudar, os sintomas e efeitos colaterais também estão neste livro tão rico de experiências e de vivências.

O livro é escrito em primeira pessoa, o que contribui para a sensação de proximidade com a autora e a narrativa é muito interessante.

Durante e depois da leitura voltei várias vezes ao Instagram das meninas para ver as fotos. Acho que este processo me permitiu sentir o livro de forma diferente, com mais proximidade.

Eu achei a capa linda, adorei a simplicidade e a leveza que ela traz. Edição linda e muito caprichada da Sextante. Revisão impecável e ótima diagramação. Páginas amarelas, os capítulos são curtos, mas intensos e cada um deles recebeu uma frase de abertura em laranja, com detalhes gráficos discretos. A mesma cor aparece nas marcação das páginas.

A escrita é fluida, clara e sincera, o que traz leveza ao tema pesado e difícil. Fiz muitas marcações e fiquei reflexiva por dias, após o final da leitura

Termino o livro triste, pensativa e ao mesmo tempo animada, cheia de motivação, querendo viver tudo o que posso, após esta leitura tão especial.

Super recomendo esta leitura inspiradora, para todos que gostam de ler sobre a VIDA! Leiam e depois me contem o que acharam, eu vou adorar saber.

Enquanto Eu Respirar
Autor: Ana Michelle Soares
Ano: 2019
Páginas: 240
Editora: Sextante
Livro cedido pela editora
Minha avaliação: 5/5 estrelas
Adicione no Skoob
Para comprar: Amazon | Sextante

Comentários