Resenha: O Dia Em Que Os Leões Comerão Salada | Raphaëlle Giordano | Editora Benvirá

 
Olá!
A resenha de hoje é do livro O Dia Em Que Os Leões Comerão Salada, escrito pela francesa Raphaëlle Giordano, da Editora Benvirá.

Este é o segundo livro que leio desta autora, que é bestseller na França. O primeiro livro foi Sua Segunda vida começa quando descobre que só tem uma e você pode ler a resenha aqui.

A autora é um fenômeno editorial na França e vendeu mais de 3 milhões de exemplares deste livro.

É um livro interessante e diferente, a começar do título. Eu amo livros com títulos diferentes como este, alias como estes, o primeiro também tem um título ótimo.

A autora criou o "romance terapêutico", um misto de romance com técnicas de autoajuda e de conscientização. Este modelo é muito interessante e as duas leituras foram prazerosas.

Duas palavras definem esta leitura, originalidade e criatividade. A escrita da Raphaëlle é ótima, didática e fluida na medida certa.

Nesta história Romane é uma jovem bem sucedida, dona de escola onde ensina as pessoas a lidarem com seus comportamentos tóxicos, agressivos e exagerados. Ela conta com seu pai como seu braço direito e os dois tem atualmente um ótimo relacionamento, bem diferente da época da morte da mãe dela.

Romane chama estes comportamentos de tendências colhonistas, a palavra vem de "colhões". Fico me perguntando, quantas situações assim encontramos diariamente, no nosso cotidiano?

Ela desenvolve cursos práticos para as pessoas aprenderem a lidar com estas situações. Quem são as pessoas que fazem estes cursos? Pessoas que foram deixadas pelos parceiros por causa deste tipo de comportamento, chefes que se comportaram desta forma com seus subordinados, pessoas extremamente estressadas e impacientes, que "atropelam" os que estão por perto...

Maximilien Vogue é um empresário super bem sucedido, atraente, mas muio prepotente e é convidado para participar do curso, por uma pessoa muito especial, que quer ver a melhora do seu comportamento.

No decorrer da trama, através das vivências, os alunos vão se deparando com suas dificuldade, enxergando onde precisam melhorar e corrigir seus comportamentos. É muito bacana acompanhar este despertar.

A autora usa técnicas conhecidas em processos de dinâmicas de grupo e outras diferentes, que eu gostei muito de aprender. Trocas de cadeiras, macacos sábios, lugar no universo, linha de conduta, intenção positiva, posturas de vida, são algumas delas, todas bem práticas e fáceis de serem realizadas.

O que eu achei mais bacana é que estas técnicas estão dentro do contexto da trama e assim elas fazem sentido e não ficam tão teóricas, ou seja elas ficam ainda mais interessantes dentro deste enredo.

Surpresas, técnicas interessantes e claro, uma boa dose de romance, compõem este livro diferente e original.

São 55 capítulos curtos e bem amarrados. Após o último capítulo, há uma lista, o Pequeno manual anticolhonice com todos os exercícios realizados pela turma de alunos dela e a explicação de cada técnica. Bem bacana e inspirador.

Adorei a capa diferente e com ar retrô. Edição caprichada da Benvirá, com ótima diagramação e boa revisão. Letras em tamanho confortável, páginas amarelas e detalhes fofos na abertura de cada capítulo.

Uma história gostosa que me fez refletir. Fiz algumas das técnicas propostas e gostei! Recomendo a leitura para quem gosta de romances diferentes, com uma pegada de autoajuda. Ficou curioso? Quer ler? Leia e depois me conte o que achou, eu vou adorar saber.

O Dia Em Que Os Leões Comerão Salada
Autor: 
Raphaëlle Giordano
Tradutor: Sonia Augusto
Ano: 2019
Páginas: 320
Editora: Editora Benvirá.
Classificação: 4/5 estrelas
Adicione no Skoob
Livro cedido pela editora
Para comprar: Benvirá | Amazon

Participam também do BEDA: 
Lunna Obdulio | Chris | Drica | Neto | Darlene Carol | Ale | Viviane

Comentários

  1. Clauo, a capa desse livro é bem interessante, o título então nem se fala! Achei bem diferentes suas impressões, pois adoro essas dinâmicas e essas formas de tentar provocar uma reflexão no outro, que não precisam, necessariamente, serem sérias, chatas e sem graça. Acho que isso podemos ver no livro, não é? Curiosa, já quero ler! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Clauo!
    Eu achei a proposta do livro o máximo! Como pode um leão comer saladas??? rsrsrsrs
    Adorei a capa e deve ser bem interessante, pelo que você expôs no texto, já vou marcar lá no meu skoob.
    Xero,
    Drica.

    ResponderExcluir

Postar um comentário