Pular para o conteúdo principal

Lançamento: A Casa Holandesa | Ann Patchett | Editora Intrínseca

 

Olá!
Hoje eu trago um lançamento sensacional para vocês, A Casa holandesa, de Ann Patchett. Uma edição linda, linda! Fiquei muito feliz ao receber esta edição da Editora Intrínseca. A Intrínseca arrasou neste lançamento! Volto logo com a resenha e te deixo por enquanto as informações sobre ele. Já conhece? Quer ler comigo?
“Vemos o passado com os olhos das pessoas que somos hoje.”

Emocionante e repleto de reviravoltas, o livro que foi finalista do prêmio Pulitzer 2020, chega às livrarias e lojas on-line do Brasil a partir do dia 11 de agosto.

Após a Segunda Guerra Mundial, graças à conjugação de sorte e um investimento fortuito, Cyril Conroy entra no ramo imobiliário, criando um negócio que logo se tornará um império e levará sua família da pobreza a uma vida de opulência. Uma de suas primeiras aquisições é a Casa Holandesa, uma extravagante propriedade no subúrbio da Filadélfia. Mas o que seria apenas uma adorável surpresa para a esposa acaba desencadeando o esfacelamento de toda a estrutura familiar.

Quem narra essa história é o filho de Cyril, Danny, a partir do momento em que ele e a irmã mais velha — a autoconfiante e franca Maeve — são expulsos pela madrasta da casa onde cresceram. Os dois irmãos se veem jogados de volta à pobreza e logo descobrem que só podem contar um com o outro. E esse vínculo inabalável, ao mesmo tempo que os salva, é o que bloqueia seu futuro.

Apesar de suas conquistas ao longo da vida, Danny e Maeve só se sentem verdadeiramente confortáveis quando estão juntos. Narrada ao longo de cinco décadas, A Casa Holandesa é uma história sobre a dificuldade de superar o passado. Com bom humor e raiva, os dois rememoram inúmeras vezes seu relato de perda e humilhação e a relação entre o irmão indulgente e a irmã superprotetora enfim será colocada à prova quando os Conroy se virem forçados a confrontar quem os abandonou.

Uma saga sobre o paraíso perdido, A Casa Holandesa se debruça sobre questões de herança, amor e perdão, uma narrativa sobre como gostaríamos de ser vistos e quem de fato somos. E, embora seja um livro repleto de reviravoltas que farão o leitor devorar a história, seus personagens ficarão marcados por muito tempo na memória.

Sobre a autora
ANN PATCHETT é autora premiada de cinco romances, entre eles Bel Canto, vencedor do Prêmio Orange e do PEN/Faulkner Award e finalista do National Book Critics Circle Award. Eleita pela revista Time uma das 100 pessoas mais influentes de 2012, Patchett é proprietária de uma livraria independente.


Ficha técnica
Título: A Casa Holandesa
Autor: Ann Patchett
Tradutor: Alessandra Esteche
Páginas: 352 | Formato: 16 x 23 x 2,1
SBN: 978-85-510-0618-4 | Preço: R$ 54,90
Para comprar: Intrínseca | Amazon


Comentários

  1. Clauo, capa mais linda essa! Me interessei muito por essa história, me pareceu um bom drama, repleto de reviravoltas e questões familiares. Realmente deve ser muito bom acompanhar a forma como eles lidam com os sentimentos. Quero ler. Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#TBRdeJunho

O que você pretende ler em junho? Você costuma fazer #TBR? Sabe o que é uma TBR? A sigla TBR significa To Be Read. Ou seja, são os livros que você deseja ler. Muitas pessoas montam suas TBR mensais. Confesso que não tinha o costume de fazer a minha, mas estou me aventurando. Alguns livros furam a fila, outros demoram um pouco mais para serem lidos e tudo bem, tenho esta flexibilidade. Estas são as leituras que programei para este mês! Pretendo acrescentar outros no decorrer do mês, mas a princípio estes são os livros que eu tenho certeza que vão me acompanhar:⁣⁣ ⁣⁣ 📖 Água fresca para as flores, Valérie Perrin, @intrinseca - para a nossa Leitura Coletiva MãeLiteratura #LCmaeliteratura⁣⁣ 📖 Na Estrada com o ex, Beth O´Leary, @intrinseca ⁣⁣- para o Clube da Leitura MãeLiteratura⁣⁣ 📖 Lar em chamas, Kamila Shamsie, @Grua_livros - para o #12livrospara2022 de junho 📖O que é que ele tem, Olívia Byington, @editora_objetiva, para o nosso Clube @CompanhiadasLetras deste mês⁣⁣ 📖 Maria Bonita,

Nossa Semana #20

Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana por aqui. Esta semana continuo fria! Chegou uma frente fria que derrubou as temperaturas por aqui e ela ainda não foi embora. Tivemos passeio encontros especiais, Clube da Leitura, ótimas leituras, academia quase todos os dias e muito trabalho . Você também sai carregada assim de casa? Olha eu na segunda feira! Marmita, sacola com material de trabalho, jaleco, mala de academia, porque se for para casa eu nao volto para malhar... Friozinho delícia! Eu amo! Zacarias bem quentinho de roupinha por aqui. Mesmo com o frio, fui a semana toda na academia, menos na sexta, pois acompanhei meu pai numa consulta. Lá dentro é bem quente, então treino de shorts e regata, mas na saída estava gelado, por isso, roupas quentinhas para ir casa e vamos que vamos. Esta semana, consegui aproveitar duas vezes, meia hora do meu almoço no trabalho, para ler. Amo estes momentos, são muito bons e me fazem muito bem. Da série, as alegrias que os livros me traze