Resenha: Beny Beneli - Ariel Busquila - ChiadoBooks


Olá leitor!
Hoje trago a resenha do livro Beny Beneli, escrito por Ariel Busquila, da nossa parceira Editora Chiado Books

Fiquei pensando em como te contaria sobre minhas impressões sobre este livro. Já aviso que é um livro diferente e que pode causar certo estranhamento. Beny Beneli é aquele tipo de livro que você precisa, antes da leitura, se despir de pré-conceitos e julgamentos, senão não conseguirá absorver a trama de forma interessante.


Um clima de mistério e de suposições aparecem nesta trama desde o seu início, quando acompanhamos o nascimento de Beny, um menino que nasce com os olhos alaranjados como os de um pequeno dragão. A trama começa com sua mãe em trabalho de parto, se escondendo e tendo por companhia seu pai. Não fica claro porque, mas ninguém pode saber do paradeiro deles e nem do nascimento do menino, como se corressem riscos. 


Este clima de mistério permanece durante toda a trama e aos poucos vamos conhecendo melhor Beny, o protagonista. Ele acredita que tem um dom ou uma sina, que todos podem ouvir seus pensamentos. Cresce num ambiente privilegiado e estranho. Não gosta de estudar, convive com “amigos” como ele. Um jovem sem motivação, que vive com sua mãe, da herança do avô materno. Festas regadas a bebidas e drogas, temporadas na casa da praia, embalados por pensamentos persecutórios e delírios importantes e que não recebem a devida atenção e muito menos tratamento adequado. 


Após um princípio de overdose, Beny “aceita” um tratamento psiquiátrico, mas fica evidente que não faz sua parte. A relação que estabelece com o médico não é de confiança.


Interessantes as sensações de estranhamento e alheamento que a leitura proporciona. Creio que são parecidas com as que Beny vivencia. Ele não é um personagem empático, nem simpático. Nem ele, nem sua mãe, o que torna a leitura difícil em certos momentos.


Podemos observar repetições de sintomas de mãe para filho, de pensamentos e emoções, os dois vivem numa simbiose que não é saudável. 


A densidade da trama e o incômodo que desperta por não ficar claro para onde a narrativa conduzirá o leitor, é amenizada pelos desenhos etéreos, as bonitas aquarelas do autor. Elas têm beleza e colorido, transformando e suavizando as páginas.


Achei a capa muito bonita e ela transmite a estranheza da história. Edição caprichada da Chiado Books. Ótima diagramação e revisão. 


O leitor é instigado pela trama original, que incomoda, cutuca e não traz tranquilidade durante a leitura. Não é uma leitura amena e leve, mas é uma leitura bem escrita e instigante. Recomendo especialmente para quem gosta de ler sobre saúde mental e psiquiatria.


Sobre o autor
Ariel Busquila é formado em Design de Moda pelo Instituto Europeu de Design, Ariel Busquila sempre foi ligado às artes. Começou a ter aulas de pintura aos 11 anos de idade, fez curso de Artes Plásticas no Centro Cultural Castillo Pittamiglio, em Montevidéu, Uruguai, curso de História da Arte com Rodrigo Naves e pós-graduação em Práticas Artísticas na FAAP. Teve a primeira exposição de suas obras aos 20 anos de idade. Ariel aposta em quadros estéticos e não se prende a métodos ou conceitos de um determinado estilo. O pintor acredita que a arte tem o poder de restaurar sentimentos e mexer com a sensibilidade das pessoas. Algumas de suas obras serviram de cenário para séries da Netflix e SBT

Ficha Técnica
Título: Beny Beneli
Autor: Ariel Busquila
Ano: 2020
Páginas: 136
Editora: Chiado Books
Coleção: Viagem na ficção
Classificação: 4 estrelas
Adicione no Skoob
Livro cedido pelo autor
Para comprar: Chiado Books
Sinopse: A história deste romance começa no nascimento do protagonista, conturbado e repleto de mistério. Beny Beneli tinha tudo para ser uma criança feliz e realizada, porém, fatos perturbadores e enigmáticos alteram a trajetória da personagem. O mundo criado na prosa de Ariel Busquila é instigante e faz o leitor querer saber o desfecho de Beny, o protagonista que nos capta logo de imediato. Loucura, errância, festas, amizades, dilemas familiares, julgamento, ficção são alguns dos temas tratados nessa obra de estreia, que prende o leitor do começo ao fim.





Comentários

  1. Oi Clauo! Achei bem interessante a pegada super diferente desse livro. Alguns livros realmente pedem uma leitura mais lenta e concentrada, mexem com a gente de uma forma original e esse parece ser um deles. Super curti a capa também. Beijos! Karla Samira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Karla!
      Você captou a forma adequada para esta leitura
      Também adorei a capa e as ilustrações que completam muito bem o livro
      Beijos

      Excluir

Postar um comentário