Pular para o conteúdo principal

Rsenha: Os Anos de Chumbo - Luiz Octavio de Lima @PlanetadeLivrosBrasil

Olá leitores!
Hoje trago para vocês o livro Os Anos de Chumbo, escrito pela Luiz Octavio de Lima, da Planeta de Livros.

Sinopse
A partir de entrevistas com personagens da época e uma profunda revisão bibliográfica, Luis Octavio de Lima apresenta, de forma cronológica, o que levou ao golpe de 1964, como a repressão e a censura afetaram o Brasil e o cotidiano das pessoas e o que foi feito para levar o Brasil à redemocratização.


Esta foi uma leitura muito especial. Ao mesmo tempo que eu mergulhei nela, no final me peguei lendo mais devagar, porque sabia que este seria o último livro lançado pelo querido e talentoso Luiz Octavio, que nos deixou prematuramente em janeiro deste ano. Este livro estava finalizado e foi lançado agora, em sua homenagem. Um livro muito bem escrito, didático, cheio de informações importantes e históricas. O mais bacana? Não é uma leitura chata, enfadonha, muito pelo contrário. Foi uma das melhores aulas de história que tive sobre o assunto. Como o assunto é muito amplo, vou destacar o que mais me chamou a atenção e dar algumas pinceladas aqui, pois é impossível destacar todos os fatos interessantes. 

Para quem como eu nasceu em plena ditadura, teve aula de  EMC (Educação Moral e Cívica) e de OSPB (Organização Social e Política do Brasil) é um alento, mesmo depois de tantos anos, voltar a estudar temas espinhosos, de uma forma mais fluida e interessante. O que mais gostei é que mais uma vez, Luiz Octávio apresenta um livro muito bem escrito, é nítido o cuidado dele no texto, escrito com imparcialidade e neutralidade. Este é um livro extremamente importante e atual, tendo em vista o momento que vivenciamos. 

O livro começa com a renúncia de Jânio Quadros, passa por Jango e aqui faço um parêntese interessante. Na passagem que o autor explica sobre o voo que trouxe João Goulart (Jango), do Uruguai para o Brasil, em segurança, o piloto foi o tenente-coronel-aviador reformado Paulo Melo Bastos. Meu pai, piloto também, conheceu pessoal o Comandante Melo Bastos e nós discutimos esta e outras passagens interessantes tratadas aqui no livro. Estas nossas conversas foram ótimas.

O autor mostra os governos militares, a ditadura, a retomada da democracia e o quanto ela é importante e deve ser valorizada. Esmiúça os mandatos dos nossos governantes, mostra a influência que os Estados Unidos teve no golpe militar. São dados interessantes que a gente "ouve falar", mas que eu não aprendi na escola.
"Os livros de história do Brasil, por exemplo, omitiam qualquer fato posterior ao fim do Império. O material didático da disciplina era encerrado na Proclamação da República e concluía com uma galeria de retratos dos presidentes e o período de seus mandatos. Nada mais."
Um recurso que mostra o talento do autor e muito me agradou, foi mesclar os temas mais pesados sobre os políticos e sobre os militares, por exemplo, com outros um pouco mais leve, como o papel da cultura nesta época, a influência da música e como os artistas tentavam driblar e conviver com os censores, que simplesmente cortavam músicas, textos, artigos, peças de teatro, cinema, pela metade, ou na medida que julgavam necessário para não "afrontar os bons costumes". Jornais que saiam com receitas de bolo, entremeadas no texto, nos espaços censurados. Discos, como um do Milton Nascimento, que foi lançado quase instrumental, por ter quase todas as letras censuradas. Como é importante valorizar a nossa liberdade de expressão, isso não tem preço e Luiz Octávio mostra em detalhes, este triste cenário nacional, que perdurou por tanto tempo. 

Uma das passagens que mais me emocionou foi o movimento pelas diretas já e a morte de Tancredo Neves, que não chegou a assumir a presidência da república, após ser escolhido como o primeiro presidente civil, após o período militar. Apesar de muito nova, acompanhei com entusiasmo este momento histórico do nosso país, pela volta ao direto de votar nos nossos representantes. Me lembro exatamente do pronunciamento da morte de Tancredo e de como ficamos chocados. Foi emocionante ler os detalhes, que eu não sabia e a movimentação destes acontecimentos tão emblemáticos para os brasileiros.

A retomada da democracia, a anistia, o que aconteceu com os principais personagens desta fase tão terrível da nossa história, estão no livro. Assim como as bandas que surgiram nos anos 80, os costumes e a cultura.
"Diferentemente do que se costuma imaginar, um regime ditatorial não assegura a implantação de um estado de ordem. Sob a aparente tranquilidade, sob o ilusório controle, costumam se instaurar a deterioração institucional, a perda das garantias individuais e as atividades subterrâneas, que, no limite, afetam não apenas os adversários do regime vigente, mas a comunidade como um todo. Cedo ou tarde, todos terminam por sofrer algum efeito danoso - social, político ou econômico. Foi o que se viveu nos chamados anos de chumbo, em que o movimento para os extremos produziu uma situação de prejuízo legal, agentes públicos fora de controle e violência exacerbada, que deixou feridas não cicatrizadas tempo afora. E cuja repetição deverá ser prevenida e evitada, tanto pelo próprio Brasil quanto por países vizinhos."
Termino a leitura emocionada e entendendo um pouco mais sobre a nossa história política e social. Um livro que ficará não só na minha memória e no meu coração.

A edição do livro tem o prefácio do ótimo Laurentino Gomes, que faz uma análise muito interessante, explicando que este livro é muito atual, para ser lido e relido e refletido por todos que sonham com um Brasil melhor. Eu concordo com ele. 
A contracapa traz uma mensagem de Noam Chomsky.

A capa é muito bonita e impactante. Adorei as cores escolhidas. Edição caprichada e muito bem cuidada da Planeta, ótima revisão e diagramação. As fotos que compõem o livro, ajudam a entender melhor os seu 34 capítulos. Páginas amarelas, letras em tamanho confortável. Foi uma leitura muito interessante e fluida. O texto do autor é ótimo, agradável de ler e não é nem um pouco cansativo, apesar do tema ser espinhoso, doloroso e cheio de detalhes importantes e interessantes.

Um livro que vai agradar leitores de várias faixas etárias, um estudo muito bem feito, que mostra o compromisso com a verdade, em contar a história de forma, clara, honesta e didática. Recomendo muito esta leitura tao atual e tão necessária. 


Ficha Técnica Título: Os Anos de Chumbo Autor: Luiz Octavio de Lima Ano: 2020 Páginas: 432 Classificação: 5/5 estrelas - favoritado Editora: Planeta Livros E-book cedido pela editora Adicione no Skoob Para comprar: Planeta Livros

Comentários

  1. Eu amo esse tipo de leitura que nos apresenta dados históricos quase como um documentário. Fiquei bem curiosa para ler pois a época da ditadura me traz muita curiosidade. São importantes as reflexões para não repetirmos os erros nem falarmos besteira aos 4 cantos, já quero ter em minha estante. Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#TBRdeJunho

O que você pretende ler em junho? Você costuma fazer #TBR? Sabe o que é uma TBR? A sigla TBR significa To Be Read. Ou seja, são os livros que você deseja ler. Muitas pessoas montam suas TBR mensais. Confesso que não tinha o costume de fazer a minha, mas estou me aventurando. Alguns livros furam a fila, outros demoram um pouco mais para serem lidos e tudo bem, tenho esta flexibilidade. Estas são as leituras que programei para este mês! Pretendo acrescentar outros no decorrer do mês, mas a princípio estes são os livros que eu tenho certeza que vão me acompanhar:⁣⁣ ⁣⁣ 📖 Água fresca para as flores, Valérie Perrin, @intrinseca - para a nossa Leitura Coletiva MãeLiteratura #LCmaeliteratura⁣⁣ 📖 Na Estrada com o ex, Beth O´Leary, @intrinseca ⁣⁣- para o Clube da Leitura MãeLiteratura⁣⁣ 📖 Lar em chamas, Kamila Shamsie, @Grua_livros - para o #12livrospara2022 de junho 📖O que é que ele tem, Olívia Byington, @editora_objetiva, para o nosso Clube @CompanhiadasLetras deste mês⁣⁣ 📖 Maria Bonita,

Nossa Semana #20

Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana por aqui. Esta semana continuo fria! Chegou uma frente fria que derrubou as temperaturas por aqui e ela ainda não foi embora. Tivemos passeio encontros especiais, Clube da Leitura, ótimas leituras, academia quase todos os dias e muito trabalho . Você também sai carregada assim de casa? Olha eu na segunda feira! Marmita, sacola com material de trabalho, jaleco, mala de academia, porque se for para casa eu nao volto para malhar... Friozinho delícia! Eu amo! Zacarias bem quentinho de roupinha por aqui. Mesmo com o frio, fui a semana toda na academia, menos na sexta, pois acompanhei meu pai numa consulta. Lá dentro é bem quente, então treino de shorts e regata, mas na saída estava gelado, por isso, roupas quentinhas para ir casa e vamos que vamos. Esta semana, consegui aproveitar duas vezes, meia hora do meu almoço no trabalho, para ler. Amo estes momentos, são muito bons e me fazem muito bem. Da série, as alegrias que os livros me traze