Pular para o conteúdo principal

Eu Li: Heimat

Olá queridos leitores!
A resenha de hoje é do livro Heimat - ponderações de uma alemã sobre sua terra e história, escrito por Nora Krug
, edição da Quadrinhos na Cia. Grupo Companhia das Letras.


Sinopse
Best-seller na Alemanha e vencedor do National Book Critics Circle na categoria autobiografia, Heimat é um romance gráfico brutalmente tocante sobre identidade, história e o significado da palavra “pertencer”. “Uma paisagem ou localidade real, imaginária ou construída, à qual uma pessoa associa uma sensação imediata de familiaridade.” Esse é o significado da palavra alemã “heimat” que neste livro se combina a uma pergunta-chave: “Como saber quem você é sem entender de onde você veio?”. Nora Krug nasceu décadas após a queda do regime nazista, mas a sombra da Segunda Guerra Mundial parecia sempre à espreita durante sua juventude. Ela, no entanto, sabia pouco sobre o envolvimento de sua família na guerra, seus pais e avós nunca falavam sobre isso. Depois de doze anos vivendo nos Estados Unidos, decidiu que precisava olhar para trás e, principalmente, fazer as perguntas que nunca tinha feito. De volta à Alemanha, Krug visitou arquivos, realizou pesquisas e entrevistou familiares, descobrindo histórias como a de seu avô materno, que foi mecânico e motorista durante a guerra, e a do irmão de seu pai, Franz-Karl, que morreu ainda adolescente quando era soldado da SS. O resultado é um livro único, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto ao mesmo tempo que apaga as fronteiras entre diário, narrativa em quadrinhos e caderno de colagens e anotações. Enquanto Krug mergulha na hora mais escura do século XX e tenta entender o lugar de sua família nisso tudo, somos levados por um relato incisivo, perturbador, uma obra sem igual no universo das HQs.
Eu AMO graphic novel e quando soube deste lançamento da @quadrinhosnacia, @companhiadasletras, fiquei doida para ler também. Não é a toa que ela é super premiada, pois é simplesmente SENSACIONAL. Foi uma das melhores leituras, que fiz nos últimos tempos. Que livro! Leia, por favor!
Heimat conta a história de Nora e a busca pelo passado da sua família. Mostra seus questionamentos e pesquisas para entender se seus familiares tinham ligações com o partido nazista. Achei a autora muito corajosa, ela não tem medo de se despir das dúvidas e receios, bem como de contar detalhes íntimos familiares, como a desconfiança da sobre quem seria realmente seu avô, pai do seu pai. Seu pai, foi um filho gerado após a morte de irmão mais velho, que tinha exatamente o mesmo nome que ele, e que morreu aos 18 anos, combatendo na guerra, serviu na juventude hitlerista. Nora também expõe as dúvidas quanto ao envolvimento do avô materno com os nazistas, embora fique claro que ele tinha amigos e vínculos com judeus.
 Alemães, desde a guerra vivem com vergonha da tragédia devastadora e não falam muito sobre seus antepassados.
Faço também, minha mea culpa, sempre disse que não tinha muita vontade de conhecer a Alemanha, por conta do clima da segunda guerra. Fiz várias anotações e destaquei várias passagens que me chamaram a atenção durante a leitura e compartilho aqui com vocês. Pasmem, nem a goleada de 7 a 1 sobre o Brasil, foi comemorada com todo o gosto que merecia, segundo a autora.

"Ao longo de toda minha infância, a guerra esteve presente, mas não era reconhecida, como a sopeira cabeça de leão, uma relíquia da família, que ficava guardada atrás da nossa louça do dia a dia."

"Sempre que eu viajava para o exterior quando adolescente, minha culpa viajava comigo. Diga que você é holandesa, minha tia Karin falava antes de cada viagem. Eu deveria ter seguido seu conselho." 

 "...Eliminamos as palavras do alemão para HERÓI, VITÓRIA, BATALHA E ORGULHO dos nossos vocabulários...Recorremos à expressão Isso é tão tipicamente alemão para descrever um comportamento hostil ou preconceituoso de alguém..."
 No decorrer da leitura, talvez até como uma forma de dar uma respirada e uma suavizada no tema tão pesado, Nora traz recortes super interessantes, diferentes, curiosos e coloridos. Apresentados em "Do caderninho de uma emigrante com saudades de casa - coisas alemãs" e "Do álbum de recortes de uma arquivista de memórias - achados num mercado de pulgas", trazem eventos, objetos e lembranças curiosas, como o Gallseife, um sabão feito da bile de um touro, a bolsa de água quente, Uhu, a primeira resina sintética, inventada por um farmacêutico alemão. Produtos eficazes, com simbolismo importante e com valor afetivo para a autora.
O livro é sensível, corajoso, terno, engraçado, afetivo, colorido e lindo. Que projeto lindo. Nora resgata a memória da família, sua afetividade e suas conexões. A melhor graphic novel que li nos últimos tempos. AMEI! Super recomendo esta leitura inspiradora! Leia, tenho certeza que você também vai amar, como eu! Depois me conta o que achou
Heimat 
Autor: Nora Krug
Ano: 2019
Páginas: 288
Editora: Quadrinhos na Cia.
Classificação 4/5
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob
Para comprar: Companhia das letras

Comentários

  1. Clauo, amo amo amo histórias sobre as guerras e, ao contrário de você, sonho em ir à Alemanha justamente para observar de perto e sentir por mim mesma o clima. Também achei a autora bem corajosa em buscar informações de seus antepassados e achei interessantíssimas todas as ponderações. Quero muito ler! Vai para a lista agora mesmo! Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#EsmalteseLivros - Agosto

  Olá!! Hoje é dia da nossa querida postagem TAG Esmaltes e Livros. Este ano conto com participações super especiais.  Além das nossas postagens mensais aqui no blog, você pode participar e seguir a TAG #esmalteselivros no Instagram e nas redes sociais. Aqui no BLOG a postagem vai ao ar sempre na terceira segunda-feira do mês. Esmaltamos as unhas, lemos ótimos livros, tiramos fotos legais. Participe você também, vou adorar sua companhia! Continuamos com as duas formas de usar a TAG. Você pode simplesmente combinar o esmalte com o livro que você está lendo. Se quiser também pode participar do nosso DESAFIO TEMÁTICO. A cada mês teremos um tema diferente, que você pode usar de "fundo" para a sua foto. Ou pode combinar a capa com o nome do esmalte, você que escolhe como prefere criar suas composições de fotos. Escolhas da Dani:  O esmaltes e livros desse mês vem com o tema: Bebidas! E eu só poderia trazer algo relacionado ao vinho pois gosto muito. E esse é a cara do blog pois é

Até 2023, BEDA!!

  O mês acabou ontem e com ele comemoro o encerramento de mais uma participação no  BEDA ! Você já ouviu falar ou participou de algum BEDA? Sabe o que significa? BEDA é a abreviatura de  B log  E very  D ay  A ugust. Este desafio pode acontecer duas vezes por ano, sempre em abril e/ou em agosto.  Durante todo este mês de agosto tivemos posts diários aqui no blog. Foi uma edição diferente. No geral foi bem bacana, mas confesso que por umas três vezes pensei em desistir. Eu sabia que seria uma edição mais trabalhosa e difícil, por causa do momento que vivencio. Confesso que "roubei" um tanto na proposta. Fiz um post por dia, ou o equivalente a ele, mas algumas vezes postei de forma retroativa. Mesmo assim acho que valeu e muito! Fiquei mais motivada, coloquei várias resenhas que aguardavam a publicação, em ordem. Uma das coisas que mais me chama a atenção é o alcance que estas postagens têm. Este mês aumentei muito o número de visualizações no BLOG. Eu acredito que isso aconteç