Pular para o conteúdo principal

Eu Li: A Saideira


Olá queridos leitores.
Hoje trago para vocês a resenha do livro A Saideira, de Barbara Gancia, da nossa querida parceira Planeta de livros.

Sinopse

“Há pessoas cujas vidas imploram para ser escritas. O problema é que, para que isso aconteça, essa pessoa precisa estar viva. E Barbara Gancia preferia flertar com a morte, a bordo de copos e mais copos e ao volante de carros suicidas.
Em sua fase de esbórnia, Barbara viveu vários filmes de ação, cheios de alçapões invisíveis, quedas no abismo e ataques de ratos. Mas nenhum tão emocionante quanto sua luta pela sobriedade. Um dia, finalmente, depois de muitas recaídas, Barbara conseguiu parar a história. O resultado é A saideira, um livro que só ela poderia ter escrito. E cuja leitura encerra lições para todos nós que, tantas vezes, achamos que os prazeres que a vida nos oferecia estavam sendo dados de graça.” – Ruy Castro, escritor



Há tempos estava curiosa para ler A Saideira e aproveitei uma das nossas Maratonas Literárias para mergulhar nesta leitura tao interessante. Apesar do tema difícil e sofrido, a escrita da Barbara tem leveza, didática e momentos hilários, que alternam com reflexões sérias, compondo um ótimo livro.

Beber causa problemas? O alcoolismo é uma doença que tem espaço de divulgação na mídia?
Estas e outras questões muito bem abordadas pela ótima jornalista Barbara Gancia, fazem parte deste livro honesto, importante e muito bem escrito. Tão bom que esgotou a edição e por isso li no Kindle. Este depoimento do escritor e amigo da autora, Ruy Castro que está na sinopse do livro, revela a essência do livro. Foi o próprio Ruy (que também batalhou muito contra sua própria dependência) quem de uma força à sua internação, passagem que Barbara conta no início do livro.


Acompanho a carreira da Barbara com interesse. 
Gosto da sua sinceridade, irreverência e autenticidade. Ela vai fundo no problema da dependência e parece não ter medo de dar a cara a tapa. Concordo com ela totalmente quando fiz que o AA é o que mais funciona como tratamento para alcoolismo. Enquanto ela não reconheceu seu problema, da dependência, não conseguiu seguir tratamento. 

Destaquei várias passagens, aliás foi um dos livros que mais destaques marquei ultimamente. Esta leitura traz ótimas e importantes reflexões. Barbara mergulha nas suas emoções e toca em temas controversos e fundamentais neste processo de aceitação da dependência e da compulsão.

"O segredo para realizar o milagre da transformação da volta do vinho para a água está na substituição de um prazer por outro, desde que a escolha seja construtiva"
Barbara narra os trinta anos de dependência, o impacto nas relações familiares, os perigos que passou, dirigindo bêbada, dando "shows de descontrole" com amigos. É forte acompanhar sua luta, suas recaídas e seu tratamento. No final a satisfação de manter a dependência sob controle e o mais bacana e que eu não fazia a menor idéia, o seu papel de orientação, dando palestras para grandes grupos, contando sobre sua luta contra o álcool, principalmente para os jovens. Conta que este projeto não só a ajudou a se manter sóbria, como trouxe a idéia de escrever este livro. Fala ainda sobre políticas de prevenção e de controle de saúde pública. É nítido quanto a autora estudou e sentiu na pele este problema tão grave, que muitas vezes é negligenciado pela sociedade.
"Viver é uma viagem de mudança de perspectiva em relação à estrada" 
"No fim das contas, somos a somatória das nossas escolhas" 

Barbara fala sobre a busca pela espiritualidade e o quanto isto pode ajudar no tratamento. Concordo novamente com ela. O doente precisa entender que não há mágica, mas sim luta diária. Menciona no livro um fato muito interessante que eu desconhecia, que Carl Jung trocou correspondência com Bill W., fundador do grupo Alcóolicos Anônimos. Nos anexos do livro há uma cópia desta carta.

O livro é intenso e cheio de casos e passagens vivenciadas pela jornalista. Barbara fala sobre seus relacionamentos, amizades, sobre sua família, seus cachorros. Não achei a leitura cansativa e gostei do ritmo de leitura, apesar de tudo, a leitura foi fluida e muito interessante. Gostei muito da capa e não posso falar sobre os detalhes da diagramação, pois a leitura no e-book é diferente do livro físico. 

Adorei e recomendo esta leitura. Zacarias, no colinho, curtiu a leitura comigo. Você ja leu? Quer ler? Leia e depois me conta o que achou.


A Saideira
Autor: Barbara Gancia
Ano: 2018
Páginas: 280
Editora: Planeta
E-book cedido pela editora
Adicione no Skoob
Para comprar: Editora Planeta



Comentários

  1. Oi Cláudia! gosto da Bárbara G, uma pessoa muito interessante, certamente tem muito a ensinar com suas experiências, principalmente em relação ao alcoolismo, sempre um problemão no seio familiar e social. Cachorrinho no colo no frio é tudo de bom!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. A autora parece incrível!
    Gosto muito de livros onde não é narrado apenas de forma superficial, e sim que o autor se coloque ali, se use como exemplo, fala suas opiniões e o que viveu.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#EsmalteseLivros - Junho

  Olá!! Hoje é dia da nossa querida postagem TAG Esmaltes e Livros. Este ano conto com participações super especiais.  Além das nossas postagens mensais aqui no blog, você pode participar e seguir a TAG #esmalteselivros no Instagram e nas redes sociais. Continuamos com as duas formas de usar a TAG. Você pode simplesmente combinar o esmalte com o livro que você está lendo. Se quiser também pode participar do nosso DESAFIO TEMÁTICO. A cada mês teremos um tema diferente, que você pode usar de "fundo" para a sua foto. Ou pode combinar a capa com o nome do esmalte, você que escolhe como prefere criar suas composições de fotos. Aqui no BLOG a postagem vai ao ar sempre na terceira segunda-feira do mês. Esmaltamos as unhas, lemos ótimos livros, tiramos fotos legais. Participe você também, vou adorar sua companhia! Escolhas da  Leticia :  "O esmalte é  o Tapete Vermelho, da @esmaltecolorama. Fácil de passar, gosto de passar três mãos pra não ficar muito transparente. O livro é o

Nossa Semana #23

  Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana 23ª. Uma semana movimentada! Teve Clube da Leitura, evento literário, muito trabalho, ótimas leituras e aconchego, o friozinho gostoso continuou por aqui. Participei da Cabine de imprensa do filme Um Broto Legal, da Pandora Filmes e adorei! Tem resenha dele aqui . Na quarta feira tivemos a primeira discussão do nosso amada Clube MãeLiteratura em parceria com a Editora Intrínseca. O livro escolhido é Na Estrada com o ex. Foi uma discussão muito bacana. Enquanto trabalho de casa, tenho a companhia super especial do Zacarias. Meu amor, meu grudinho, meu companheirão, fica sempre pertinho, roncando e brincando com seu amiguinhos. Eu e a Fernanda, minha irmã, voltamos ao cinema, 36 anos depois de ver o primeiro filme, para assistir Top Gun: Maverick.  Que filme! Amamos! Amamos! Amamos! Tenho experimentado um ritual toda noite que me faz muito bem. Vou pra cama cedo, fico lendo, tomo meu chazinho e relaxo, me recuperando dos dias agitado