Pular para o conteúdo principal

Eu Li: A Filha do Reich


Olá!!
Hoje trago a resenha do livro A Filha do Reich, de Paulo Stucchi, Editora Jangada - Grupo Editorial Pensamento.

Sinopse
Ao receber a notícia da morte de seu pai Olaf um ex-soldado alemão refugiado no Brasil , Hugo Seemann viaja à Serra Gaúcha para cuidar do funeral. Contudo, o que parecia ser uma mera formalidade de despedida a um pai que nunca conhecera de verdade, torna-se uma jornada ao passado aos horrores da Alemanha nazista. Durante o funeral, Hugo recebe a visita da jovem Valesca Proença, que lhe mostra uma carta enviada por Olaf à sua mãe, contendo estranhas revelações que contradizem tudo o que achavam que sabiam a respeito de seus respectivos pais. Buscando desvendar esses antigos segredos há muito enterrados, eles partem para Colônia, onde descobrirão suas origens e o passado sombrio de Olaf. Uma trama envolvendo amizades, traição, morte, amor e milagres que uma obscura organização surgida na época do Terceiro Reich fará de tudo para manter em segredo, na intenção de encobrir a verdadeira identidade sobre uma criança conhecida somente como... A Filha do Reich.

Quando eu recebo a lista dos lançamentos do mês e vejo um romance da Jangada,  fico animada na hora, pois sei que vou gostar e quando apareceu este livro, nem pensei em escolher outro título. Livro sobre a segunda guerra mundial e ainda mais escrito por um brasileiro? Nem pestanejei, solicitei na hora.

Numa tarde devorei as primeiras 150 páginas do livro e simplesmente não conseguia largá-lo. Fui dormir de madrugada e este foi um ótimo indício, já que há tempos um livro não me despertava tanta atenção. Simplesmente não consegui parar de ler até chegar na última página. Que romance bom!! Bem escrita, a trama tem suspense, drama, amor e história.

A escrita do Paulo é ótima e a trama eletrizante. Vamos acompanhando junto com o protagonista o desenrolar da história e desvendamos os segredos do passado do seu pai, aliás não só os segredos, mas temos a oportunidade de conhecer quem foi realmente o velho Olaf, junto com seu filho. Foi muito bonito este "redescobrir" da imagem do pai, pelo seu filho, Hugo.

Um romance ambientado em Plaszow (Cracóvia) Polônia, em 1943 e em São Paulo, em 2006. Já tinha lido algumas histórias sobre organizações secretas nazistas e fiquei ainda mais curiosa depois desta leitura. Acredito que muita coisa do que aconteceu naquela guerra, tantas atrocidades, ainda hoje permanecem escondidas, por isso achei muito interessante a abordagem do autor.

Apesar do tema e do cenário tão triste e pesado, a trama tem bons personagens e mantém um ritmo intenso, prendendo a atenção do leitor. Os personagens são simpáticos e interessantes. Um recadinho para o autor: Paulo, nunca mais vou conseguir olhar para uma tartaruga sem me lembrar do Sócrates :(

Gosto muito da forma como o livro foi estruturado, alternando capítulos atuais com outros passados durante a segunda guerra mundial. Além de prender mais minha atenção, torna a leitura mais interessante e menos pesada, não fica cansativa. 
Adorei a capa, linda, linda. Edição ótima da Jangada, que sempre capricha nas suas produções. Boa diagramação, páginas amarelas, letras em tamanho confortável. Não se assuste com o tamanho do livro, as 416 páginas são lidas rapidamente, porque a história é ótima! Tão boa que o livro foi passear comigo e assim puder acabar ainda mais rápido e descobrir o que houve com Olaf, Hugo e seus amigos. 
Na foto acima, vocês podem conferir o material de divulgação que a Jangada me mandou e eu adorei! Vieram mapa, passagens aéreas e fotos, embalados com o livro. 

Se você gosta de um bom drama, de livros sobre o holocausto e bem escritos não deixe de ler A Filha do reich. Recomendo muito esta leitura.



Sobre o autor
Paulo Stucchi é jornalista e psicanalista. Formou-se em Comunicação Social pela Unesp Bauru. Ele é especialista em Jornalismo Institucional pela PUC-SP e Mestre em Processos Comunicacionais, com ênfase em Comunicação Empresarial pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou como jornalista em revistas e jornais impressos, tornando-se editor, por treze anos, de uma publicação segmentada para o setor gráfico. Divide seu tempoentre o trabalho de assessor de comunicação e sua paixão pela literatura, principalmente, romances históricos. Também é autor de Menina – Mitacuña, O Triste Amor de Augusto Ramonet, Natal sem Mamãe e A Fonte.



A Filha do Reich
Autor: Paulo Stucchi
Ano: 2019
Páginas: 416
Editora: Jangada
Classificação 5/5 - Favoritado
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob
Para comprar: Editora Jangada


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

Até 2023, BEDA!!

  O mês acabou ontem e com ele comemoro o encerramento de mais uma participação no  BEDA ! Você já ouviu falar ou participou de algum BEDA? Sabe o que significa? BEDA é a abreviatura de  B log  E very  D ay  A ugust. Este desafio pode acontecer duas vezes por ano, sempre em abril e/ou em agosto.  Durante todo este mês de agosto tivemos posts diários aqui no blog. Foi uma edição diferente. No geral foi bem bacana, mas confesso que por umas três vezes pensei em desistir. Eu sabia que seria uma edição mais trabalhosa e difícil, por causa do momento que vivencio. Confesso que "roubei" um tanto na proposta. Fiz um post por dia, ou o equivalente a ele, mas algumas vezes postei de forma retroativa. Mesmo assim acho que valeu e muito! Fiquei mais motivada, coloquei várias resenhas que aguardavam a publicação, em ordem. Uma das coisas que mais me chama a atenção é o alcance que estas postagens têm. Este mês aumentei muito o número de visualizações no BLOG. Eu acredito que isso aconteç

#EsmalteseLivros - Agosto

  Olá!! Hoje é dia da nossa querida postagem TAG Esmaltes e Livros. Este ano conto com participações super especiais.  Além das nossas postagens mensais aqui no blog, você pode participar e seguir a TAG #esmalteselivros no Instagram e nas redes sociais. Aqui no BLOG a postagem vai ao ar sempre na terceira segunda-feira do mês. Esmaltamos as unhas, lemos ótimos livros, tiramos fotos legais. Participe você também, vou adorar sua companhia! Continuamos com as duas formas de usar a TAG. Você pode simplesmente combinar o esmalte com o livro que você está lendo. Se quiser também pode participar do nosso DESAFIO TEMÁTICO. A cada mês teremos um tema diferente, que você pode usar de "fundo" para a sua foto. Ou pode combinar a capa com o nome do esmalte, você que escolhe como prefere criar suas composições de fotos. Escolhas da Dani:  O esmaltes e livros desse mês vem com o tema: Bebidas! E eu só poderia trazer algo relacionado ao vinho pois gosto muito. E esse é a cara do blog pois é