Pular para o conteúdo principal

Eu Li: A Distância até a cerejeira


Olá
A resenha de hoje é do livro A Distância até a cerejeira, escrito por Paola Peretti, lançamento da nossa parceira Planeta de Livros.

Sinopse

Todas as crianças têm medo de escuro.
O escuro é um quarto sem portas nem janelas, com monstros que nos prendem e nos devoram em silêncio.
Eu tenho medo só do meu escuro, aquele que tenho dentro dos olhos.
Para Mafalda, de nove anos, o escuro é a sua única certeza e o seu destino: em algum momento nos próximos seis meses ela perderá a visão. Diante de um futuro assustador e desconhecido, Mafalda – com a ajuda de sua família e seus amigos – precisará descobrir o que realmente importa conforme sua visão começa a falhar.



Eu adoro ler e descobrir novos autores e quando vi este lançamento da nossa querida parceira Planeta, não tive dúvidas, solicitei na hora. Esta foi uma leitura muito especial. Triste, intensa, mas ao mesmo tempo terna e com pitadas de ingenuidade. Explico melhor, a autora, a italiana Paola, conseguiu trabalhar um tema difícil, a perda da visão por conta da Doença de Stargardt, transformando este processo num livro sensível, belo e inspirador. 
Imagino que um dos trunfos para o livro não ser piegas é que a autora teve esta doença. A impressão que eu tenho é que o livro tem um caráter autobiográfico, embora isso não seja declarado pela autora no livro.

Mafalda é uma menininha fofa e amada pelos pais. Filha única, vive feliz com sua família e seu gato. Descobre que sofre de uma doença sem cura, até este momento, que tem como consequência a perda progressiva da visão. Cada capítulo  mostra esta perda, mensurada pela diminuição da sua visão até a cerejeira da escola. Ela mede os passos que vão progressivamente diminuindo, até chegar na árvore. 

Acompanhamos suas idas à médica, a preparação e o sofrimento dos pais, sua superação e adaptação. O tom do livro não é triste, pois Mafalda narra sua história e sua visão infantil de mundo é cheia de curiosidades, de ingenuidade, coisas que quer fazer, de planos para o futuro. Mostra sua vida escolar e o quanto luta para não ser "diferente" dos seus colegas.

Os personagens são afetivos e empáticos e contribuem para este belo enredo, tornando a leitura muito boa e interessante.  A convivência com os pais, presentes e preocupados com seu bem estar, seu gato, o Ótimo Tucaret (adorei este nome!) é um amigo inseparável, a amiga e confidente Stella, funcionária da sua escola. A amizade com Felipe,  mostra que Mafalda não quer ser tratada como "coitadinha", mas sim como qualquer criança. Os dilemas da escola, as descobertas da idade, amizades, expectativas e outros sentimentos estão presentes neste livro tão forte e ao mesmo tempo delicado. Ele traz uma mensagem de esperança, de adaptação, de vida. Acabo a leitura morrendo de vontade de dar um abraço bem apertado na Mafalda e na sua turma. Leiam, vale super a pena!

A Distância até a cerejeira
Autor: Paola Peretti
Ano: 2019
Páginas: 244
Editora: Outro Planeta
Classificação 5/5
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob
Para comprar: Planeta


Comentários

  1. obrigada por ter colocado isso no seu blog li seu resumo do livro para poder compreender melhor e conseguir fazer o trabalho de lingua portuguesa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#TBRdeJunho

O que você pretende ler em junho? Você costuma fazer #TBR? Sabe o que é uma TBR? A sigla TBR significa To Be Read. Ou seja, são os livros que você deseja ler. Muitas pessoas montam suas TBR mensais. Confesso que não tinha o costume de fazer a minha, mas estou me aventurando. Alguns livros furam a fila, outros demoram um pouco mais para serem lidos e tudo bem, tenho esta flexibilidade. Estas são as leituras que programei para este mês! Pretendo acrescentar outros no decorrer do mês, mas a princípio estes são os livros que eu tenho certeza que vão me acompanhar:⁣⁣ ⁣⁣ 📖 Água fresca para as flores, Valérie Perrin, @intrinseca - para a nossa Leitura Coletiva MãeLiteratura #LCmaeliteratura⁣⁣ 📖 Na Estrada com o ex, Beth O´Leary, @intrinseca ⁣⁣- para o Clube da Leitura MãeLiteratura⁣⁣ 📖 Lar em chamas, Kamila Shamsie, @Grua_livros - para o #12livrospara2022 de junho 📖O que é que ele tem, Olívia Byington, @editora_objetiva, para o nosso Clube @CompanhiadasLetras deste mês⁣⁣ 📖 Maria Bonita,

Nossa Semana #20

Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana por aqui. Esta semana continuo fria! Chegou uma frente fria que derrubou as temperaturas por aqui e ela ainda não foi embora. Tivemos passeio encontros especiais, Clube da Leitura, ótimas leituras, academia quase todos os dias e muito trabalho . Você também sai carregada assim de casa? Olha eu na segunda feira! Marmita, sacola com material de trabalho, jaleco, mala de academia, porque se for para casa eu nao volto para malhar... Friozinho delícia! Eu amo! Zacarias bem quentinho de roupinha por aqui. Mesmo com o frio, fui a semana toda na academia, menos na sexta, pois acompanhei meu pai numa consulta. Lá dentro é bem quente, então treino de shorts e regata, mas na saída estava gelado, por isso, roupas quentinhas para ir casa e vamos que vamos. Esta semana, consegui aproveitar duas vezes, meia hora do meu almoço no trabalho, para ler. Amo estes momentos, são muito bons e me fazem muito bem. Da série, as alegrias que os livros me traze