Pular para o conteúdo principal

De Pé Quebrado

Eis que estou com o pé quebrado esquerdo, pela primeira vez na vida!
Nunca tinha quebrado nada, mas já tinha torcido o pé direito, quando era adolescente.

Dia 30 de setembro, brincando com a Bia, minha sobrinha e afilhada, cai em cima do meu pé..."bem caída", diga-se de passagem, pois consegui quebrá-lo! 
Na hora achei que só tivesse dado mal jeito, mas em seguida começo a inchar bastante e ficou bem preto e lá fomos nós para a clínica ortopédica. Diagnóstico após RX, fratura (embaixo do quinto dedo) e pelo menos 30 dias de tratamento. Sai de lá com uma tala de gesso e a promessa de não colocar o pé no chão de jeito nenhum (e a cabeça quente pensando como ficaria meu trabalho e o meu dia a dia).

Com dor e pulando num pé só, a primeira coisa que fiz foi buscar no Google formas de facilitar este período de tratamento.
A melhor descoberta de todas: a cadeira do computador! Isso mesmo. Esta cadeira é mágica gente! A bichinha virou minha companheira de todas as horas, o dia todo. Anota, porque esta dica vale ouro! Com esta cadeira conseguia ir até o banheiro, andava pela casa toda, pois ela é mais leve e passa melhor pelas portas que a cadeira de rodas tradicional (que no meu caso foi um trambolho e não me ajudou em nada, já que ela entala em tudo que é porta).
Ficar de molho não foi fácil, principalmente para alguém ligada no 220 como eu! Sempre fui muito independente e ter que parar com 90% das suas atividades foi bem complicado. Procuro ver sempre o lado positivo e pensar o que esta parada significa.
Ainda bem que tive e tenho ajudas preciosas por aqui, maridão e filhos ajudam muito. 
O que me ajudou (e ajuda) muito também foi a companhia do meu "enfermeiro preferido", Zacarias, meu filho peludinho! Ele me faz companhia o tempo todo e não dispensa um colinho. 
A parte boa, estou lendo mais ainda, praticamente um livro por dia, com direito a muito carinho e atenção!

Toda semana tenho retorno no ortopedista e depois de 10 dias ele me indicou a bota Robofoot. Ela parece a bota do Robocop, mas facilita muito a vida! Ainda dói bastante pra pisar, mas já tenho mais liberdade de locomoção. 
Agora, após dois retornos ao médico estou bem melhor e mais adaptada. Sigo as orientações médicas direitinho, pois acredito que assim o tratamento tem mais chance de sucesso. A noite meu é está bem inchado e bem dolorido. Os hematomas já estão bem menores.
Estou descobrindo um universo que só acompanhava no trabalho. Como é difícil a vida de quem tem dificuldade de locomoção ou é deficiente físico! 
Este é tema pra novas conversas, senão este post ficará imenso. Acompanhe minhas reflexões amanhã. 
Você já quebrou o pé? Me conta como foi.




Comentários

  1. Clauo, que coisa louca essa queda tão "boba" e "de repente" que lhe causou todo esse transtorno! Sim, quem tem qualquer dificuldade de locomoção passa por poucas e boas no período de recuperação (e de adaptação, é claro!). Espero que melhore logo, mas enquanto isso, siga mesmo certinho as recomendações médicas e continue se cuidando como sempre! Estou por aqui torcendo por você.
    Beijos!
    Karla Samira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#TBRdeJunho

O que você pretende ler em junho? Você costuma fazer #TBR? Sabe o que é uma TBR? A sigla TBR significa To Be Read. Ou seja, são os livros que você deseja ler. Muitas pessoas montam suas TBR mensais. Confesso que não tinha o costume de fazer a minha, mas estou me aventurando. Alguns livros furam a fila, outros demoram um pouco mais para serem lidos e tudo bem, tenho esta flexibilidade. Estas são as leituras que programei para este mês! Pretendo acrescentar outros no decorrer do mês, mas a princípio estes são os livros que eu tenho certeza que vão me acompanhar:⁣⁣ ⁣⁣ 📖 Água fresca para as flores, Valérie Perrin, @intrinseca - para a nossa Leitura Coletiva MãeLiteratura #LCmaeliteratura⁣⁣ 📖 Na Estrada com o ex, Beth O´Leary, @intrinseca ⁣⁣- para o Clube da Leitura MãeLiteratura⁣⁣ 📖 Lar em chamas, Kamila Shamsie, @Grua_livros - para o #12livrospara2022 de junho 📖O que é que ele tem, Olívia Byington, @editora_objetiva, para o nosso Clube @CompanhiadasLetras deste mês⁣⁣ 📖 Maria Bonita,

Nossa Semana #20

Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana por aqui. Esta semana continuo fria! Chegou uma frente fria que derrubou as temperaturas por aqui e ela ainda não foi embora. Tivemos passeio encontros especiais, Clube da Leitura, ótimas leituras, academia quase todos os dias e muito trabalho . Você também sai carregada assim de casa? Olha eu na segunda feira! Marmita, sacola com material de trabalho, jaleco, mala de academia, porque se for para casa eu nao volto para malhar... Friozinho delícia! Eu amo! Zacarias bem quentinho de roupinha por aqui. Mesmo com o frio, fui a semana toda na academia, menos na sexta, pois acompanhei meu pai numa consulta. Lá dentro é bem quente, então treino de shorts e regata, mas na saída estava gelado, por isso, roupas quentinhas para ir casa e vamos que vamos. Esta semana, consegui aproveitar duas vezes, meia hora do meu almoço no trabalho, para ler. Amo estes momentos, são muito bons e me fazem muito bem. Da série, as alegrias que os livros me traze