Pular para o conteúdo principal

Cinema: O Castelo de Vidro (Paris Filmes)

Participei semana passada da Cabine de Imprensa da Paris Filmes do longa O Castelo de Vidro. Estava muito ansiosa para assistir este filme, pois na época que li o livro (em 2012) , ele me deixou muito chocada com a história. Baseada em fatos reais, o livro escrito pela jornalista Jeannette Walls tornou-se um best-seller e acho que o filme tem tudo para ser um grande sucesso.
Gostei muito do filme. O título do filme por si só é triste. Representa os sonhos, promessas e as expectativas não realizadas pelos pais desta complicada família. Algumas cenas mexem com os expectador de forma forte, como a cena da piscina, onde o pai de Jeannette a joga na água diversas vezes, mesmo sabendo que ela, pequena, tinha medo e não sabia nadar. A justificativa? Que ela precisa ser forte e aprender a nadar "na marra".
O filme ficou um pouco mais leve que o livro (pois é se você achar que ele é bem pesado, multiplique um tanto mais e terá o livro) e mais romanceado. Algumas cenas mais ternas não encontrei no livro. No filme é possível entender a patologia do pai, um alcoólatra, mas não fica clara a patologia da mãe. Acredito que os dois tinham graves distúrbios emocionais e psiquiátricos. 
Mais uma vez não consegui sentir empatia pelos pais e não vi resiliência neles.  O mais bonito do filme é observar como os quatro irmãos conseguem manter a sanidade e a busca por uma vida normal através da sua união e do necessário afastamento dos pais. 
Outro ponto bacana no filme é a projeção no final de cenas reais, filmadas e fotografadas. Achei o pai real muito parecido com o seu intérprete, ator Woody Harrelson!
Terminei o filme com a mesma sensação que terminei o livro, me sentindo inconformada, questionando as relações patológicas desta família desestruturada. Depois desta história é inevitável se sentir uma boa mãe...
O filme é dirigido por Destin Daniel Cretton, de ‘Temporário 12’, e retrata a rotina de uma família instável e nômade, a partir da perspectiva de Jeannette, interpretada por Brie Larson, vencedora do Oscar de melhor atriz por 'O Quarto de Jack'.  Brie mais uma vez arrasa no papel. Um papel forte,  com intensa carga dramática, de uma mulher forte que desabrocha de uma menininha sensível.
Sinopse: Crônica das aventuras de uma família excêntrica, resiliente e intrigante, “O Castelo de Vidro” apresenta uma notável história de amor incondicional. A vencedora do Oscar®, Brie Larson dá vida o best-seller mais recente de Jeannette Walls, que, influenciada pela natureza alegremente selvagem de seu pai profundamente disfuncional (Woody Harrelson), encontrou a determinação ardente de criar uma vida bem sucedida em seus próprios termos.
Ficha técnica
Direção: Destin Daniel Cretton
Roteiro: Destin Daniel Cretton, Andrew Lanham
Elenco: Brie Larson, Woody Harrelson, Naomi Watts, Max Greenfield, Sarah Snook, Robin Bartlett
Classificação: a definir

O livro que inspirou o filme ficou por sete anos na lista de best-seller do “The New York Times” e é publicado no Brasil pela Globo Livros. Eu o li em 2012. É um livro muito, muito forte, escrito por uma pessoa forte. Gostei muito da escrita e da coragem da Jeannette, ao retratar sua família.
Como ganhei um exemplar desta nova edição, vou sortear entre meus seguidores no Instagram. Fiquem de olho lá também.
Assistam o filme  e depois me contem o que acharam! Os créditos das fotos são da Paris Filmes.



Comentários

  1. E lá vou eu atrás do livro. Já tinham me sugerido a leitura, mas deixei passar porque estava com 'precisamos falar sobre Kevin' e esse livro foi bastante indigesto. Realidade demais. rs

    bacio

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#TBRdeJunho

O que você pretende ler em junho? Você costuma fazer #TBR? Sabe o que é uma TBR? A sigla TBR significa To Be Read. Ou seja, são os livros que você deseja ler. Muitas pessoas montam suas TBR mensais. Confesso que não tinha o costume de fazer a minha, mas estou me aventurando. Alguns livros furam a fila, outros demoram um pouco mais para serem lidos e tudo bem, tenho esta flexibilidade. Estas são as leituras que programei para este mês! Pretendo acrescentar outros no decorrer do mês, mas a princípio estes são os livros que eu tenho certeza que vão me acompanhar:⁣⁣ ⁣⁣ 📖 Água fresca para as flores, Valérie Perrin, @intrinseca - para a nossa Leitura Coletiva MãeLiteratura #LCmaeliteratura⁣⁣ 📖 Na Estrada com o ex, Beth O´Leary, @intrinseca ⁣⁣- para o Clube da Leitura MãeLiteratura⁣⁣ 📖 Lar em chamas, Kamila Shamsie, @Grua_livros - para o #12livrospara2022 de junho 📖O que é que ele tem, Olívia Byington, @editora_objetiva, para o nosso Clube @CompanhiadasLetras deste mês⁣⁣ 📖 Maria Bonita,

Nossa Semana #20

Olá! Hoje eu quero te contar como foi a nossa semana por aqui. Esta semana continuo fria! Chegou uma frente fria que derrubou as temperaturas por aqui e ela ainda não foi embora. Tivemos passeio encontros especiais, Clube da Leitura, ótimas leituras, academia quase todos os dias e muito trabalho . Você também sai carregada assim de casa? Olha eu na segunda feira! Marmita, sacola com material de trabalho, jaleco, mala de academia, porque se for para casa eu nao volto para malhar... Friozinho delícia! Eu amo! Zacarias bem quentinho de roupinha por aqui. Mesmo com o frio, fui a semana toda na academia, menos na sexta, pois acompanhei meu pai numa consulta. Lá dentro é bem quente, então treino de shorts e regata, mas na saída estava gelado, por isso, roupas quentinhas para ir casa e vamos que vamos. Esta semana, consegui aproveitar duas vezes, meia hora do meu almoço no trabalho, para ler. Amo estes momentos, são muito bons e me fazem muito bem. Da série, as alegrias que os livros me traze