Pular para o conteúdo principal

Entrevista com a Equipe do Espetáculo A Menina e o Sabiá

Quando assisti o Espetáculo A Menina e o Sabiá muitas perguntas passaram pelos meus pensamentos e foi com muita alegria que eu soube que a equipe do espetáculo A Menina e O Sabiá, tinha respondido minha entrevista! Eles foram super queridos e responderam todas questões. Esta sintonia e cuidado, refletem no lindo espetáculo. Adorei conhecer um pouco mais sobre esta turma tão especial. Compartilho com vocês este bate papo. Confiram:



1) O Grupo Ares foi criado em 2007, quem são as pessoas que o compõe? São sempre os mesmo artistas? Conte um pouco mais sobre o grupo para o MãeLiteratura: 
Respondido por Mônica Alla:
Foi fundado assim que retornei da Holanda, onde morei por vários anos pesquisando e desenvolvendo a linguagem da dança aérea e vertical . O Grupo Ares surgiu da necessidade artística que tive de desenvolver uma linguagem genuína, que combine de modo orgânico as diferentes disciplinas que formam o perfil artístico de cada um de seus participantes.  O Ares é um núcleo artístico de pesquisa e criação que tem como principal objetivo buscar a verticalidade em cena por meio dos mais diferentes aparelhos aéreos, unindo-os a dança , ao teatro corporal e ao circo contemporâneo. 
As criações do Ares sempre buscam algo do sonho, da imagem, de poesia visual, mais do que palavras.  O Núcleo Criativo é composto por artistas vindos de diferentes bagagens (dança contemporânea e urbana, ginastica olímpica, circo, musica, artes plásticas etc) que tem em comum a pesquisa e treinamento em técnicas aéreas, o Ares possui um elenco flexível que pode mudar de acordo com cada proposta de criação.

2) A escolha de locais inusitados para as apresentações me chamou a atenção, quais são estes lugares e por que estas escolhas? 
Respondido por Mônica Alla:
Creio que devido a grande influencia artística e cultural que tive, busquei capitalizar e compartilhar minhas experiências adquiridas no exterior, desenvolvendo uma linguagem própria e diferenciada ao Ares. Eu busquei o teatro fora do teatro, busquei dialogar com a arquitetura presente e transformar o espaço comum em espaço cênico.  Já fizemos espetáculos em piscinas, espelho d'agua, galeria de arte, fábricas, pontes e passarelas, dialogando com obras de grandes arquitetos como: Lina Bo Bardi, Niemeyer, Villanova Artigas...etc. Além dos espaços convencionais também.

3) Como é a preparação dos artistas? Para o espetáculo A Menina e o Sabiá quanto tempo de ensaios e preparação o grupo teve? 
Respondido por Mônica Alla e Miló Martins:
Para criação do espetáculo A Menina e o Sabiá começamos a princípio com uma ideia que então foi desenvolvida em forma e conteúdo. Houve anteriormente uma fase preparatória que durou uns seis meses, passando por etapas como a escrita da dramaturgia (usada como roteiro de ensaio posteriormente), pesquisa da linguagem para a identidade visual feita pela Gasbox, captação de recursos (o espetáculo foi feito com recursos da produtora MMartins e material de acervo do Ares), ​o casting do elenco e de todos os envolvidos na equipe, criação da trilha, figurino, cenografia, etc​. 

Então houve urgência na estréia, pois o Grupo foi convidado pela prefeitura de Salto para abrir o Festival de teatro dessa cidade. Em dois meses precisávamos deixar tudo pronto, tivemos ensaios pontuais todos os dias durante este período, o núcleo se encontra diariamente para pesquisas, ensaios e preparação corporal ​(nosso Núcleo de Pesquisa, o NAC)​. Uma loucura que só foi possível, graças a experiência da direção, da prontidão física do elenco e de uma produção muito ágil. A sintonia grande dos criadores colaborou para a agilidade nesta criação e esta mesma sintonia nos levou a este resultado que está encantado tanta gente. ​É gratificante.

4) Imagino que um dos grandes desafios do espetáculo seja manter a atenção dos expectadores, já que a peça não é falada, mas sim musicada. Fale um pouco sobre este desafio.
Respondido por Mônica Alla:
Na verdade para nós não é um desafio, mas sim um grande prazer trabalhar com esta linguagem sutil, sem palavras, em estilo poético, metafórico e visual, onde as formas falam por si próprias mais do que as palavras, estabelecendo uma comunicação sensorial com a plateia e buscando alcançar através dos sentidos o inconsciente e a percepção do espectador, independente da idade.  Ficamos felizes que tenha gostado!

5) Flor Reeves e Alan Quinquinel fizeram outros trabalhos no teatro com o Grupo Ares. Você pode contar um pouco sobre eles? Suas formações? Os trabalhos que já realizaram?
Respondido por Alan e Flor:
Eu, Flor, sou formada em design gráfico na Argentina, mas durante toda minha vida tive um forte desenvolvimento e vínculo com atividades físicas. Minha base vem da ginástica olímpica, passando por diversas atividades e esportes até se encontrar com o circo 13 anos atrás para nunca mais parar.  Mudei da Patagonia para São Paulo com intuito de continuar desenvolvendo e aprofundando meus conhecimentos e experiências artísticas, encontrando aqui no Brasil muitas novas possibilidades e linguagens de experimentação. Trabalhei com diversas companhias, tanto no Brasil como na Argentina, até começar no Grupo Ares. Os princípios de coletividade, experimentação, e liberdade na criação, junto dos resultados caprichosamente dirigidos são alguns dos aspectos principais que me deixam orgulhosa e feliz em fazer parte deste grupo. Na Menina e o Sabiá especificamente é resultado de um trabalho feito com muito carinho e profissionalismo por todos os integrantes da equipe, que permitiu esse resultado imagético e delicadamente elaborado com o fim de encantar as crianças e o público em geral :)

Eu, Alan Quinquinel, sou paulista, formado em artes visuais pela Unesp e praticante das artes circenses há 8 anos. Tomei contato com a linguagem específica da dança aérea em 2010, participando do espetáculo do grupo catalão La Fura Dels Baus no Memorial da América Latina.  Estudei ainda pole dance, tecido e lira em algumas escolas de São Paulo, participando de campeonatos e festivais. Atuei em alguns coletivos artísticos urbanos, como o Buraco da Minhoca, Casa Amarela e Organismo Parque Augusta. Atualmente leciono circo em escolas e academias de São Paulo. 
Me identifico com a linguagem delicada do Grupo Ares e com a preocupação estética que sempre damos ao acabamento e finalização dos movimentos. Existe uma constante busca pela leveza e sutileza no gesto, contrapondo-se a rigidez própria dos aparelhos utilizados, num trabalho árduo de lapidação de cada cena. O processo criativo utilizado pelo grupo busca extrair de cada performer sua paleta pessoal de movimentos, que são posteriormente desenvolvidos e lapidados com mais profundidade, criando uma linguagem muito pessoal e única. No caso específico da "Menina e o Sabiá", além de toda a técnica acrobática, sincronia e afinação, existe uma extrema necessidade de que haja intenção em cada cena, e que esta intenção se traduza em gesto, talvez ainda mais por não haver fala alguma durante todo o espetáculo. Uma experiência única que tem me fascinado dia após dia.

6) Acompanhei com grande alegria no último sábado o Teatro Consolação lotado, com uma grande fila de espera. Conte-nos sobre esta temporada aqui em São Paulo.
Respondido por Miló Martins:
Foi uma enorme felicidade estrear em São Paulo, justamente no Teatro Anchieta, no Sesc Consolação, um espaço muito querido e especial para mim e pra Mônica. Todas as datas até agora aconteceram com o teatro lotado, no último sábado realmente tivemos uma enorme fila de espera por ingressos e acreditamos que esgotará antes de chegar ao dia 16/07, última data no Consolação. O público sai encantado, elogiando, todos querem tirar fotos com o sabiá com a menina, sempre tem um grande assédio no final. Enorme alegria vivênciar tudo isso!!! 
Acredito ainda que não adianta ter um bom espetáculo se o público não ficar sabendo que ele existe, então o trabalho de comunicação da Tatiana Pugliesi/Cais Cultura, nossa assessoria de imprensa foi muito bem feito e fundamental para este sucesso.


7) A Menina e o Sabiá seguirá em turnê? Vocês já pensam nos novos projetos para os próximos meses?
Respondido por Miló Martins:
Depois do Sesc Consolação, o espetáculo seguirá para o Sesc Itaquera (dias 27 e 28/08) e pretendemos muito circular por todo o Brasil com ele. Estamos recebendo contato de contratantes interessados e tudo vem sendo negociado e cuidado com muito carinho. Temos uma super equipe competente de produção, coordenada pela Marinella Corradini, que atua na produção geral e nas estratégias de venda, e a BenzaDeus Produtora, responsável pelo nosso agenciamento.

E vocês? O que acharam da entrevista? Me contem!

Ficha Técnica – A Menina e o Sabiá  
Direção, Criação e Coreografia: Monica Alla
Direção, Idealização e Dramaturgia: Miló Martins  
Elenco: Alan Quinquinel e Flor Reeves  
Figurinos e Cenografia: Marcio Vinicius - Mais Cenografia  
Design de Luz: Miló Martins  
Trilha Sonora Original: Fernando Narcizo, Evaldo Luna e Ivan Teixeira
Músicas na Trilha Sonora: Sabiá lá na gaiola (de Hervê Cordovil e Mario Vieira) e Ayú (Fernando Barba/Barbatuques)
Operador de Som: Fernanda Guedella  
Coordenador Riggers: André Caldas - Acrobático Fratelli  
Equipe Riggers: Vagner Assalti e Ricardo Leite  
Produção Executiva: Marinella Corradini e Miló Martins  
Agenciamento: Benzadeus Produtora  
Assessoria de Imprensa: Tatiana Pugliesi - Cais Cultura  
Design Gráfico e Fotografia: Gasbox Studio  
Realização: Miló Martins Produções & Grupo Ares  


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Maravilhoso Bistrô Francês | #12LivrosPara2021 | Julho

  Olá! Hoje é dia da TAG #12LivrosPara2021. Esta TAG é uma parceria com os blogs  Mundinho da Hanna  e  Pacote Literário . Todo dia 12 de 2021 postarei a resenha de um livro que estava na minha biblioteca aguardando a leitura. A ideia é ler livros que são meus e esperam na fila de leitura. Se você quiser relembrar as postagens de 2020 é só clicar  aqui . Este é o livro de julho da nossa TAG #12livrospara2021. Que surpresa boa! Eu adorei esta leitura. Um livro que me proporcionou duas viagens, uma pela Bretanha, localizada na França, que tenho muita vontade de conhecer. Outra viagem foi muito especial, acompanhar o mergulho da personagem no seu próprio universo, por ela desconhecido. O livro começa com Marianne Messmann tentando se matar ao pular no Rio Sena, numa viagem à Paris com seu marido. Marianne vive um casamento sufocante, sem graça e sem afeto. Ela é resgatada por um pescador e levada à um hospital. Lá encontra um azulejo pintado de um porto francês e se encanta com a paisagem

#EsmalteseLivros - Agosto

  Olá!! Hoje é dia da nossa querida postagem TAG Esmaltes e Livros. Este ano conto com participações super especiais.  Além das nossas postagens mensais aqui no blog, você pode participar e seguir a TAG #esmalteselivros no Instagram e nas redes sociais. Aqui no BLOG a postagem vai ao ar sempre na terceira segunda-feira do mês. Esmaltamos as unhas, lemos ótimos livros, tiramos fotos legais. Participe você também, vou adorar sua companhia! Continuamos com as duas formas de usar a TAG. Você pode simplesmente combinar o esmalte com o livro que você está lendo. Se quiser também pode participar do nosso DESAFIO TEMÁTICO. A cada mês teremos um tema diferente, que você pode usar de "fundo" para a sua foto. Ou pode combinar a capa com o nome do esmalte, você que escolhe como prefere criar suas composições de fotos. Escolhas da Dani:  O esmaltes e livros desse mês vem com o tema: Bebidas! E eu só poderia trazer algo relacionado ao vinho pois gosto muito. E esse é a cara do blog pois é

Até 2023, BEDA!!

  O mês acabou ontem e com ele comemoro o encerramento de mais uma participação no  BEDA ! Você já ouviu falar ou participou de algum BEDA? Sabe o que significa? BEDA é a abreviatura de  B log  E very  D ay  A ugust. Este desafio pode acontecer duas vezes por ano, sempre em abril e/ou em agosto.  Durante todo este mês de agosto tivemos posts diários aqui no blog. Foi uma edição diferente. No geral foi bem bacana, mas confesso que por umas três vezes pensei em desistir. Eu sabia que seria uma edição mais trabalhosa e difícil, por causa do momento que vivencio. Confesso que "roubei" um tanto na proposta. Fiz um post por dia, ou o equivalente a ele, mas algumas vezes postei de forma retroativa. Mesmo assim acho que valeu e muito! Fiquei mais motivada, coloquei várias resenhas que aguardavam a publicação, em ordem. Uma das coisas que mais me chama a atenção é o alcance que estas postagens têm. Este mês aumentei muito o número de visualizações no BLOG. Eu acredito que isso aconteç