Eu Li: Poliana

Olá queridos leitores!
Hoje eu trago uma resenha de um livro muito especial, Poliana, de Eleanor H. Porter, edição de luxo da Ciranda Cultural.

Sinopse
Uma carta chega endereçada à amarga senhorita Polly. Sua sobrinha, que há pouco ficou órfã, não tem nenhum outro familiar para criá-la. A tia então aceita o dever de abrigar a garota. Poliana traz em sua bagagem roupas surradas, uma imensa alegria de viver e o desejo de descobrir o mundo. A tia preocupa-se com as leituras e estudos da garota, porém, o que a pequena mais deseja é descobrir o mundo e conhecer as pessoas. Algo está prestes a acontecer no casarão no alto da colina...



Minhas Impressões
Quando eu soube do lançamentos da Ciranda Cultural, Poliana, eu fiquei muito animada e curiosa para ler este livro. Que delícia e que emoção reler este grande clássico da literatura mundial. Não sei nem se eu posso considerar como releitura, pois eu li quando tinha por volta de 9 anos ou seja há quase 40 anos atrás! Me lembro apenas que foi uma leitura emocionante.

Como esta estória é bonita. Foi uma delícia redescobrir Poliana. Eleanor criou uma menina terna, envolvente, cheia de vida, apesar das dificuldades vivenciadas. Valores como amizade, esperança, motivação, positividade fazem parte dessa trama tão especial. Poliana é uma menina órfã que após perder os pais, vai morar com a irmã de sua mãe, a tia Polly. Sua tia é uma solteirona amargurada que vive sozinha numa casa muito confortável. Nancy é a empregada, uma jovem afetiva e é quem primeiro percebe o tesouro que é Poliana. Na casa trabalham ainda Tom, o velho jardineiro, que conheceu a mãe de Poliana ainda pequena, e seu filho Timothy.

Poliana vem trazer para essa família alegria, vida e felicidade. Ela faz amizade com vários vizinhos e a todos leva sempre uma mensagem de otimismo e esperança. Poliana é uma menina que leva luz e alegria para todos que convivem com ela. Transforma a vida da tia solteirona e de todos ao seu redor.

O nome Poliana, é uma homenagem que a sua mãe fez para suas duas irmãs Polly e Anna. Me lembrei durante a leitura que quando li o livro pela primeira vez, achei o nome lindo e queria ter uma filha para chamá-la de Poliana. A minha Letícia não virou Poliana, mas seria uma linda homenagem.

O livro é uma injeção de ânimo e de otimismo. A mensagem simples e tão eficaz mostra que depende apenas de nós, a nossa felicidade, aprendendo a ver o lado bom das coisas. Poliana ensina o jogo do contente, um jogo em que sempre é possível descobrir o lado positivo de cada situação. Termino a leitura com um sorriso nos lábios, com o coração aquecido e a alma leve.

Recomendo muito dessa leitura inspiradora para leitores de todas as idades sem exceção. Um livro simples, mas que tem uma força enorme e é atemporal. Quer ficar feliz também? Leia Poliana! Volto logo para contar para vocês como foi a leitura de Poliana Moça.
Sobre o livro
A capa é linda e muito caprichada, adorei as cores utilizadas. Diagramação perfeita da Editora Ciranda Cultural. Letras em tamanho confortável, páginas amarelas, ótimo espaçamento, sem erros de ortografia. Esta é uma edição de luxo. O livro é de capa dura,  bordas das páginas na cor verde e vem com marcador de cetim combinando com a cor da capa. Que edição bonita!
Poliana
Autor: Eleanor H. Porter
Ano: 2018
Páginas: 208
Editora: Ciranda Cultural
Classificação 5/5
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob

Este post faz parte da Maratona de Setembro Interative-se. Nesta semana,  17 à 23 de setembro, teremos posts diários desta maratona, acompanhe comigo!


Comentários

  1. Adoro como você nos orienta sobre cada detalhe das obras que nos apresenta!
    Amo ser feliz!Quero sim conhecer mais da Poliana!
    Estou amando participar da maratona com vocês!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Que capa linda!
    Estamos assistindo a novela...
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Adoro Pollyanna, li na faixa dos 40 quando filho leu na escola, é contagiante!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Que coincidência, esses dias atrás mesmo estava conversando com a minha sogra sobre este livro. Ela sabe que eu gosto muito de ler e ficou surpresa ao saber que eu nunca tinha lido esse livro. Claro que já ouvi falar sobre a história e sobre o famoso "jogo do contente", mas nunca li o livro de fato. Seu post veio me confirmar que eu preciso corrigir o problema de ainda não ter lido, principalmente o que você disse sobre ser uma injeção de otimismo, o que é sempre bem vindo! Ah, ainda não conhecia essa editora, Ciranda Cultural, mas fiquei encantada com essa edição, está linda!

    ResponderExcluir
  5. Oi Claudia, buongiorno.
    Confesso que fiquei um pouco incomodada com a 'abrasileirada' do nome de Pollyanna. Detesto quando fazem isso. Não vejo necessidade de mudar um nome dessa maneira.
    Eu li esse livro há muitos anos, era jovenzinha e a história não me prendeu tanto porque era apaixonada por outro estilo de leitura na época. Mas, li até o fim.
    Me lembro do preconceito e as polêmicas causadas pelo livro e mesmo assim a trama inspirou filmes, séries de TV, e peças no teatro... motivadas, é claro, pela escrita que não envelhece. Imagino que deve ter inspirado muitos autores de minha geração.
    Acho sempre impressionante como as pessoas se incomodam quando um livro se torna popular. rs

    bacio

    ResponderExcluir
  6. Também li esse livro quanto tinha por volta de 9 ou 10 anos...faaaaz tempo. Mas não me esqueço do jogo do contente. As capas estão realmente lindas. Eu vi uma edição especial na saraiva, com uma capa roxa e uns brilhinhos...ainda não comprei. Mas com certeza logo vira para minha mini estante :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Esse livro é um encanto, traz mensagens de esperança, algo tão importante nos dias de hoje. O SBT fez uma adaptação em forma de novela chamada As Aventuras de Poliana, que por sinal está fazendo muito sucesso. Espero que a novela inspire mais crianças e adolescentes a conhecerem essa bela obra. A capa está mesmo encantadora, super caprichada!

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Acredita que eu não li esse livro quando era criança? Agora que ele está em alta e todo mundo tecendo elogios foi que o conheci e fiquei a indagar porque não fez parte daquela época dourada em que eu já adorava ler!
    Comprei uma edição dele da Pé de Letra e me apaixonei por ela e agora adorei essa edições da Ciranda Cultural que você mostrou.
    Vou ver se consigo ler ainda esse ano, sua resenha me deixou com aquele gostinho de preciso ler essa história e conhecer essa menina! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  9. Muto legal quando você encontra uma re-edição de um livro que fez parte de sua infância. Sei bem como é. Poliana pela premissa parece ser um livro instigante. Adorei sua resenha e irei dá uma pesquisa a mais sobre esta obra.
    Clássicos são tudo bom.
    bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário