Eu Assisti: A Mala de Hana

Terça feira fomos assistir a peça teatral A Mala de Hana, em cartaz no Teatro Folha.
Fiquei muito feliz com este convite, pois li o livro e estava muito curiosa para ver como a produção trabalharia o holocausto, tema tão difícil e importante, numa peça infantil.
Encenada pela dupla de atores Luana Paroni e Fernando Chapaval, a peça é bem fiel ao livro. No livro os capítulos são alternados entre o presente e o passado. Fumiko é uma uma japonesa responsável pelo Museu do Holocausto no Japão e é ela quem conta a história verídica de Hana e seu irmão George para as crianças. Hana e George Brady eram dois jovens irmãos que viviam numa pequena cidade da Tchecoslávaquia. Formavam uma família feliz e afetiva com seus país, na pequena cidade de Nove Mesto. O problema? Serem judeus em 1938.
Alternando os papéis os dois atores dão um show de graça e emoção.
Sinopse: A Mala de Hana narra a história real de Fumiko, diretora de um centro educacional no Japão, que formou um grupo com alunos para estudar o período. A curiosidade e o fascínio pelo assunto fez com que, no ano 2000, o grupo de estudantes iniciasse uma jornada para conhecer detalhes sobre a história da jovem Hana. Foi assim que Fumiko chegou a George Brady, irmão de Hana (que ainda está vivo e mora no Canadá). Com a ajuda dele conseguiram recriar a história vivida nos campos de concentração, período em que foi separado da sua irmã. Hana, na época com apenas 13 anos de idade, chegou a Auschwitz acreditando que reencontraria George.
Na mala, ela levou poucas roupas e alguns dos seus desenhos preferidos. 
Através de uma história que percorre três continentes diferentes – América, Europa e Ásia – o espetáculo traça, como a autora do livro diz, “uma lembrança da brutalidade do passado e da esperança do futuro”. Em cena, os atores se revezam pela narrativa da história. 
A peça desperta na criança o interesse pelo estudo e compreensão de um período histórico extremamente importante para o seu desenvolvimento, não apenas como conhecimento, mas também como seres humanos”, conta Luana Paroni, atriz que interpreta Hana
A peça traz uma mensagem importante sobre a intolerância e a injustiça, presentes no período da II Guerra Mundial, e que ainda circulam com diferentes facetas em nossa sociedade. “Queremos disseminar a profundidade do fato histórico de maneira sensível, lúdica e principalmente pedagógica, fazendo com que as crianças se interessem e mergulhem nessa história”, completa Fernando Chapaval, ator que interpreta George. 
A Mala de Hana participou do Festival de Férias do Teatro Folha em 2016 e fez apresentações no Teatro Anne Frank, localizado no Clube Hebraica.

Fui agradavelmente surpreendida. A peça é leve, interativa, divertida, emocionante e prende a atenção.
Um fato bacana, minha irmã e minha sobrinha não leram o livro, mas gostaram tanto quanto eu da peça.
No final da peça Luana e Fernando nos encontraram na entrada do teatro para fotos e um rápido bate papo. Descobri que eles fazem um lindo trabalho nas escolas também. Para estas e outras informações visitem a página da peça do Facebook.
Recomendo muito esta peça para toda a família. Torço para que ela fique mais tempo em cartaz. Vale a pena conferir!
Ficha Técnica:
Texto: Karen Levine. 
Adaptação: Erez Milgrom. 
Direção: Marcelo Klabin. 
Elenco: Fernando Chapaval e Luana Paroni. 
Trilha Sonora: Daniel Tauszig. 
Figurino: Guilherme Lervolino. 
Cenografia e Adereços: César Bento. 
Diretora de Produção: Marili Gonzaga. 
Assistência de Produção: Bruna de Oliveira. 
Iluminação: Gilson Moura. 
Fotos: Fernando Ducatti. 
Vídeos: Filipe Rodrigues. 
Assessoria de Imprensa: Renato Fernandes

Serviço
Teatro Folha  
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 - Terraço. 
Temporada: De a 30 de janeiro, sempre terça-feira, às 18h
Telefone: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323. 
Preço: R$ 40 (Inteira) e R$ 20 (Meia). 
Ingressos na bilheteria ou site
Classificação: A partir de 8 anos de idade. 
Capacidade: 305 lugares 
Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. 
Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 00h; sábado, das 12h às 00h; e domingo, das 12h às 19h 
Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado 
Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, LG, Privalia, Nova Chevrolet, Wickbold, Owens, Teleperformance e Grupo Pro Security.

Comentários

  1. Que demais essa peça, não conhecia o livro, uma ótima dica de lazer e Cultura

    Bjs Mi Gobbato

    ResponderExcluir
  2. Um tema forte e tocante com uma abordagem leve!!Me interessei!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Clauo! Realmente tiro o chapéu para quem consegue trabalhar com suavidade um tema de gravidade tão imensa quanto esse! Se valeu a pena assistir, melhor ainda! Vou ficar ligada, quem sabe um dia não estarão em BH, heim? Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Que interessante!! Um tema tão pesado sendo abordado de forma leve. Eu não estava sabendo dessa peça, vou tentar ir. Adorei as fotos. bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Clau, ótima dica de peça. Realmente um tema difícil de abordar, mas muito importante também.
    beijos
    Chris

    ResponderExcluir

Postar um comentário