Papo Médico com o Dr Rodrigo Rosa - Vacina para HPV

Após o sucesso dos últimos posts nesta nossa coluna mensal, pedi ao Dr. Rodrigo Rosa que nos explicasse um pouco mais sobre a vacina para HPV.  Vamos conferir?
Fonte da imagem: Prefeitura de São Paulo

HPV: quando meninas e meninos devem tomar a vacina
O HPV, ou vírus do papiloma humano, é transmitido no contato pele com pele, por isso pode ser considerado uma doença sexualmente transmissível. Mas diferente das outras DSTs, não é preciso haver troca de fluídos para que a transmissão ocorra.
O principal sintoma é o surgimento de verrugas ou lesões na pele, normalmente uma manchinha branca ou acastanhada que coça. Muitas vezes, no entanto, a lesão pode não ser visível a olho nu, aparecendo em exames como colposcopia, vulvoscopia e peniscopia.
Uma das inúmeras formas de prevenção é tomar a vacina contra o vírus. A imunização contribui para redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres, além de prevenir o câncer de pênis, ânus, verrugas genitais, boca e orofaringe.
O Brasil é o primeiro país da América do Sul a oferecer vacina contra HPV para meninos em programas nacionais de imunização. Desde o mês passado, a vacina é oferecida a meninos de 11 a 15 anos incompletos e meninas com idade entre 9 a 15. Em ambos os casos, a imunização deve ser composta por duas doses, com intervalo de seis meses entre elas.
Também têm direito à imunização portadores do vírus HIV de 9 a 26 anos ou pessoas com câncer em uso de quimioterapia e radioterapia (ambos os sexos), além de quem já foi submetido a algum transplante de órgão.
Se seguido à risca, o esquema vacinal protege contra quatro subtipos do vírus (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia.
Sobre Rodrigo da Rosa Filho: O médico Rodrigo da Rosa Filho é especialista em reprodução humana. Graduado em medicina pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp/EPM), Rodrigo é sócio fundador da Clínica de Reprodução Humana Mater Prime. É membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) e da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo (SOGESP), e co-autor/colaborador do livro “Atlas de Reprodução Humana” da SBRH e autor do livro” Ginecologia e Obstetrícia- Casos clínicos” (2013).​

Gostou do tema deste mês? Você gostaria de ver algum outro tema apresentado aqui? Você pode nos escrever, fazendo sua sugestão ou contando sua dúvida.
Esta parceria com Dr. Rodrigo me deixa muito feliz! Este é um post cheio de gratidão, que também faz parte da nossa Blogagem Coletiva. Passe no blog da querida Elaine Gaspareto e veja quantos motivos para sentir grata.



Comentários

  1. Ótima dica do Dr. Rodrigo! Muitas são as dúvidas envolvidas e até receios em relação à prevenção. Minha filha tomou as doses ainda na puberdade e não tive dúvidas quanto à necessidade disso. Bjs, Claudia!

    ResponderExcluir
  2. Nossa saber mais sobre o HPV só faz ter certeza que a imunização é a coisa certa

    ResponderExcluir
  3. Tão bom que existam vacinas assim para ajudar a proteger nossas crianças!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito deste tema, pois minha mais velha completou 9 anos e já vai tomar a vacina!!! Beijos Regina

    ResponderExcluir

Postar um comentário