Vírus Zika X Gestação

Um dos maiores temores da futuras mamães de hoje é o contato com o vírus zika. 
No post de hoje o Dr. Rodrigo da Rosa Filho nos esclarece sobre pontos importantes sobre adiar ou não a gestação.

O medo de pegar o vírus zika durante a gestação e ter bebês com microcefalia tem colocado as mulheres diante de um grande dilema:  adiar ou não a gravidez. A vacina contra o vírus deve ficar pronta em pelo menos cinco anos. Até lá, o especialista em reprodução humana dr. Rodrigo da Rosa Filho, da clínica Mater Prime, em São Paulo, recomenda que mulheres jovens e acima de 35 anos reflitam sobre a questão. "Quanto mais tardia a gravidez, maior o risco de doenças cromossômicas", alerta o médico, que completa, “a mulher nasce com todo o estoque de óvulos que, ao longo dos anos, vão se perdendo. Aos 35 anos, o número de óvulos é de apenas 10% do número ao nascimento. Além da perda de quantidade, há perda da qualidade dos óvulos. Com isso, também cresce o número de óvulos com alterações genéticas e de embriões com má-formações, diminuindo a chance de gravidez espontânea e aumentando a probabilidade de abortos".

De acordo com o dr. Rodrigo, a idade é o principal limitador da fertilidade: “a chance do casal engravidar por mês de tentativa é de cerca de 20% aos 30 anos, caindo para 12% aos 35 anos e apenas 5% aos 40 anos. Além disso, a chance de perda gestacional aumenta também, sendo que até 15% das gestações não evoluem nas pacientes até os 35 anos, enquanto que nas pacientes com 40 anos cerca de 30% a 40% das gestações ocorrem abortos espontâneos".

Cientificamente há outras doenças que tanto a mãe quanto o bebê podem ter em gestações com mulheres acima de 35 anos.   O risco de Síndrome de Down, por exemplo, aumenta com o passar do tempo. "Aos 30 anos, é de 1 para cada 900 nascimentos. Se a mulher decide esperar até os 32 anos para engravidar, o risco de nascer um bebê com Síndrome de Down aumentou para 1 em cada 650 nascimentos e se esperar até os 35 anos passa de 1 para cada 350", enfatiza Dr Rodrigo.  E aos 40 o risco é de 1 para cada 100 nascimentos. Existe ainda outras doenças como hipertensão, diabetes gestacional e parto prematuro que aumentam com a idade materna.

Diante deste quadro, o especialista em reprodução humana recomenda que o casal analise a situação. “A vacina do vírus zika vai demorar, não é tão simples assim. Enquanto isso, o número de casos deve aumentar nos próximos anos chegando a 75 mil notificações até 2018”.

Uma alternativa para preservar a fertilidade e poder adiar a gestação com segurança é o congelamento de óvulos. Segundo o Dr. Rodrigo, o congelamento permite que as chances de gravidez  e o risco de aborto sejam os mesmos da idade do óvulo quando foi congelado. Para mulheres acima dos 35 anos e que pretendem adiar, essa é a melhor estratégia para o sonho da gravidez não acabar devido ao envelhecimento dos óvulos.

Uma vez decidida a gravidez, o importante, segundo o médico, é se cuidar. As mulheres devem decidir junto com o especialista qual o melhor repelente a ser usado no corpo e em casa. A orientação também é utilizar roupas que deixem poucas partes expostas e instalar telas em janelas. Outra recomendação é o uso correto e constante do preservativo durante a gravidez, já que foi comprovado também que o vírus zika é transmitido pelo sêmen. 

Sobre Rodrigo da Rosa Filho
O médico Rodrigo da Rosa Filho é especialista em reprodução humana. Graduado em medicina pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp/EPM), Rodrigo é sócio fundador da Clínica de Reprodução Humana Mater Prime. É membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) e da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo (SOGESP), e co-autor/colaborador do livro “Atlas de Reprodução Humana” da SBRH e autor do livro” Ginecologia e Obstetrícia- Casos clínicos” (2013).





Comentários

Postar um comentário