Eu Li: Um Artista do Mundo Flutuante


Olá!
Hoje trago a resenha do livro Um Artista do mundo flutuante, de Kazuo Ishiguro, da nossa parceria com a Editora Companhia das Letras.

Sinopse: Um romance sensível e comovente do vencedor do prêmio Nobel, ambientado no Japão após a Segunda Guerra Mundial. Masuji Ono, protagonista e narrador deste primoroso romance do vencedor do prêmio Nobel de literatura, é um homem de seu tempo. Pintor de grande renome do Japão antes e durante a Segunda Guerra Mundial, ainda jovem Masuji desafiou o pai para seguir a vocação artística e, durante seu desenvolvimento criativo, lutou contra as amarras da arte tradicional japonesa para dar lugar a uma produção propagandística a serviço de seu país. Usando a influência de que gozava perante as autoridades do governo imperial, Ono buscava ajudar pessoas de bem em situações menos favorecidas do que a sua.
Ambientado nos anos imediatamente após a rendição, o romance descortina a vida de Masuji já aposentado, procurando entender as mudanças vividas pelo país e impressas na mentalidade da geração mais jovem, da qual fazem parte suas duas filhas. Ao procurar entender por que as negociações para o casamento da mais nova delas foram abruptamente interrompidas, o protagonista se vê levado a rememorar sua vida de artista e professor respeitado e a enfrentar a consequência dos próprios atos no destino de seus descendentes.Retrato comovente de um momento histórico cujos desdobramentos se veem até os dias de hoje, Um artista do mundo flutuante é também um poderoso romance sobre a velhice, a culpa e a passagem do tempo.


Minhas Impressões
O primeiro livro que li deste autor foi Não me abandone jamais, adorei a leitura e nossa discussão no Clube da leitura. Quando soube deste lançamento da Companhia das Letras, escolhi na hora. 

Este é o segundo romance de Kazuo e foi uma ótima leitura.  Não é a toa que o autor recebeu o Nobel de Literatura. Sua escrita é muito bonita e elegante. Kazuo escreve sobre as tradições e costumes japoneses e isto me encanta.

Trata-se de um livro sensível e delicado. Não espere forte emoções, ou uma leitura eletrizante, cheia de ações. A narrativa é ótima, mas Kazuo mantém uma linguagem linear e reflexiva. Foi uma leitura fluída e que me trouxe reflexões importantes, sobre paternidade, amizade, costumes e tradições.

Um Artista do mundo flutuante conta a história de Masuji Onu, um pintor renomado. Ambientada no pós guerra, acompanhamos suas lembranças e o sentimento do povo japonês com relação à segunda guerra mundial. Onu é um homem do seu tempo, tradicional, e reflete sobre suas escolhas e o impacto das mesmas não só na sua vida, mas também nas vidas de suas duas filhas.  Narra sobre amizades, sobre seu trabalho, sua família, sobre choque de gerações.  Fatos interessantes e diferentes, que pertencem à cultura nipônica são muito bem escritas neste bonito romance. Destaque para as descrições das negociações de casamento das duas filhas do pintor.

O livro enfoca as relações familiares, principalmente com as duas filhas, na fase que o protagonista se encontra (no início da trama ele já viúvo, sua esposa morreu durante a guerra). As passagens mais ternas e divertidas mostram Onu com seu primeiro neto, Ichiro. 

Outro ponto do livro que me chamou muito a atenção foi a formação do personagem principal. Os anos de dedicação ao aprendizado da pintura, sua relação com os mestres e posteriormente com seus alunos. A formalidade destas relações também é interessante e diferente do nosso contexto cultural.


Sobre o livro
Adorei a capa, é linda. Uma das mais bonitas que já vi, aliás todos os livro deste autor têm capas lindas com detalhes com brilho e lombadas difrenciadas. A diagramação é ótima, páginas amarelas, letras em tamanho confortável, bom espaçamento, revisão impecável. A leitura  é  fluida, e interessante, respeitando a época em que se passa a trama. Companhia das Letras arrasou nesta belíssima edição.


Um Artista do mundo flutuante
Autor: Kazuo Ishiguro
Ano: 2018
Páginas: 232
Editora: Companhia das Letras
Classificação 5/5
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob


Comentários

  1. A capa é realmente linda, né? Eu amei o corte de página colorido *-*
    Você deve ter visto lá no meu blog que eu recebi esse livro num pacote da Companhia das Letras, mas acabei lendo outro livro primeiro. Mas logo logo pretendo embarcar nesse romance que parece deveras encantador! Nunca li nada do autor, então espero que seja uma boa primeira experiência :)
    Adorei a resenha e modo como você descreveu o que sentiu com a leitura. beijos.

    ResponderExcluir
  2. Que capa mais linda!!
    E eu amei a premissa. Adoro histórias que trazem tradições e costumes japoneses, também fico encantada.
    Fiquei bem curiosa e com muita vontade de ler mais esse livro do autor.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Eu li apenas um livro desse autor 'os vestígios do dia' que comprei na livraria da vila, me apaixonei pela capa e pelo título. Mas o li sem ânimo. Não me conquistou o estilo de escrita dela e quando vi que tinha alcançado o tal do Nobel (que enfrenta graves problemas devido aos escândalos) imaginei que iria proliferar livros dele por todas as partes e foi o que aconteceu.
    Mas não fui na onda... já me entendi comigo nesse sentido, alguns livros não são para mim. rs

    bacio

    ResponderExcluir

Postar um comentário