Clube da Leitura de Dezembro - Neve na Manhã de São Paulo

Olá queridos!
No terceiro sábado de dezembro realizamos o último clube da leitura de 2017. Foi um ano sensacional! 12 ótimos livros e excelentes discussões! 
Este livro maravilhoso conseguiu um feito inédito, todos gostaram dele, foi unânime desta vez. Escrito por José Roberto Walker, historiador, o livro é um presente para São Paulo. Que emoção conhecer minha cidade no período de 1917 à 1919.
Pela sinopse, entendemos que o livro narra o romance de Osvald de Andrade com Daisy, a Miss Cuclone, numa garçoniére no centro de São Paulo, mas o livro é muito mais que este romance. Através do narrador Pedro, único personagem ficcional, o autor elabora uma trama interessantíssima, rica em detalhes, recheada de histórias maravilhosas. Pedro é terno, por vezes frágil, sensível, envolvente.
Fatos marcantes como a gripe espanhola que dizimou boa parte da população e que não é muito comentada até hoje, passando pela primeira greve que paralisou a cidade, José Roberto constrói um romance poderoso e único. Descobrimos como surgiram as primeiras feiras livres da cidade, que o bairro de Higienópolis recebeu este nome, pois significa cidade higiênica e foi construído como um bairro planejado e moderno.

Capa linda, linda! Diagramação excelente. Apesar do tom histórico, a leitura é deliciosa, fluida e muito, muito interessante. O trabalho de pesquisa foi muito bem realizado pelo autor. Este livro daria uma ótima mini série. Recomendo MUITO esta leitura.

SinopseUma das histórias mais encantadoras - e menos contadas - do modernismo paulista é a da garçonnière mantida por Oswald de Andrade entre 1917 e 1919 no centro de São Paulo. Por ali passaram figuras que anos depois transformariam a cena literária e artística brasileira, tais como, Guilherme de Almeida, Monteiro Lobato, Menotti del Picchia, e o desenhista Ferrignac. Eles mantiveram um diário coletivo batizado de "O perfeito cozinheiro das almas deste mundo", no qual esse cotidiano boêmio era registrado em pormenores. No pequeno apartamento da Libero Badaró, jovens amigos se reuniam para discutir literatura, política, ouvir música, fazer saraus e, claro, namorar. Foi nesses dias que Oswald encontrou uma estudante de dezessete anos com quem se envolveu de imediato. Diferente em tudo das moças que aqueles rapazes conheciam, Daisy, ou Miss Cyclone, logo se integrou ao grupo como se fosse um deles. Esse amor, no entanto, desafiou Oswald de várias maneiras. A presença marcante de Daisy e o romance trágico ficaram claramente documentados no diário. Cabe a Pedro, amigo de infância de Oswald, e o único do grupo que não alcançou a fama nem se tornou escritor, o papel de narrador do drama do qual foi um dos personagens. A partir de sólida pesquisa documental, José Roberto Walker recria de maneira notável a atmosfera vibrante da cidade de São Paulo no início do século XX. Neve na manhã de São Paulo joga uma nova luz sobre personagens-chave desse período e mostra com brilho como o modernismo paulista - que surgiria com a Semana de 22 - já estava a mil.

Ficha técnica
Título: Neve na manhã de São Paulo
Autor: José Roberto Walker
Ano: 2017 
Páginas: 368
Idioma: português 
Editora: Companhia das Letras

Adicione no Skoob
Minha avaliação: 5/5 FAVORITADO!

Depois da discussão, tivemos nossa tradicional comemoração de final de ano, eu adoro estas confraternizações! É muito bacana ver o pessoal empolgado com as leituras e lendo ainda mais livros, muitas vezes de gêneros diferentes dos lidos habitualmente.

Até agora totalizamos 32 livros discutidos! Terminamos o ano animadíssimos para 2018. Os próximos dois livros já foram escolhidos. Se você quiser ler e acompanhar com a gente, mesmo de longe, eu vou adorar!!
Janeiro: Travessuras da Menina Má - Mario Vargas Llosa (Ed. Companhia das Letras)
Fevereiro: O Palácio de Inverno - Jhn Bolby ( Ed. Companhia das Letras)

Comentários

  1. Oi Clauo! Fico aqui babando nas fotos do clube de leitura! Se morasse mais perto, compareceria a todos! Que legal que todos gostaram! Devem ser tristes os relatos sobre a gripe espanhola, mas achei curioso descobrir sobre o bairro chamado Higienópolis! Desejo que sigam firmes no clube e, claro, vou acompanhando os posts mesmo de longe!
    Beijos!
    Karla Samira

    ResponderExcluir

Postar um comentário