O Natal do Encontro no Shopping Lar Center!!

[Cinema} A Menina Índigo - Cinética Filmes

ENCANTADA! Foi assim que sai do sala do Reserva Cultural, aqui em São Paulo, após assistir este filme lindo, A menina Índigo, na sua Cabine de Imprensa. O filme é uma produção da Cinética Filmes.
Quando soube deste lançamento, fiquei doida para conferir, pois este tema me interessa muito. 
Já tinha lido um livro sobre crianças índigos, além de vários artigos. O tema me fascina, e acho que é muito coerente e atual, são crianças especiais, no sentido de evolução. Crianças inteligentes, sensíveis, que captam as novidades e descobertas de forma surpreendente e muito particular.
O diretor Wagner de Assis, deixa claro que o filme não é espírita e apesar disso, eu gostei muito da abordagem dele, da forma como retratou esta criança especial e seu universo próprio.

Sinopse: Sofia (Letícia Braga) é uma menina de sete anos que apresenta comportamento considerado fora do padrão, na escola e em sua relação com os adultos. Sua mãe (Fernanda Machado), a executiva Luciana, acredita que ela tem algo especial que a faz curar as pessoas. Quando vai morar com o pai, Ricardo (Murilo Rosa), um jornalista competente e racional, começa a provocar mudanças nas relações familiares, obrigando todos ao seu redor a repensarem suas vidas. Sofia é representante de uma nova geração de crianças chamadas de índigos, que, acredita-se, têm potenciais transformadores da sociedade

O filme é lindo! Colorido, terno e sensível. O elenco afinado. Letícia, esta menina linda e carismática (que eu já tinha curtido em Detetives do Prédio Azul), tem uma química ótima com seus pais (Fernanda Machado e Murilo Rosa) em cena.  Murilo Rosa mostra mais uma vez uma ótima presença de cena, convencendo como o pai atencioso e cuidadoso.

A menina índigo me fez pensar, repensar e refletir. Há tempos o meio "psicológico" questiona o excesso de medicação para transtornos de atenção e hiperatividade...como tratar?

O colorido das tintas é um dos pontos altos do filme. No começo confesso que como mãe, fiquei meio "travada" com tanta tinta colorida por todos os lados (inclusive nos armários e na cama). Pensei como seria minha reação se minha filha se comportasse assim...mas com o desenrolar do filme, fui curtindo mais. As tela são lindas, lindas. O cachorro Hulk da raça Bernes, também traz ainda mais graça ao filme.

Outro ponto interessante do filme são as relações familiares. Foi muito bacana rever o ator Paulo Figueiredo em cena e ver o poder de transformação que uma criança é capaz de realizar. De um avô descrente e materialista, em uma pessoa muito mais humana.

O filme tem uma leveza diferente e muito especial. As cenas são muito bonitas.

Na página do filme no Facebook você pode acompanhar maiores detalhes. Nós aderimos a campanha e espero que você colabore também! Quanto mais pessoas pedirem, mais chances o filme tem de ultrapassar esta semana de exibição. Vale muito à pena.

No dia da cabine de imprensa, ganhamos o livro do filme. Comecei a leitura no mesmo dia. O livro é lindo e me deixou ainda mais apaixonada pelo filme. No livro, Wagner de Assis, relata todo o processo de idealização e produção do filme. Não vou contar os detalhes, pois teremos um post especial dele ainda esta semana. Adianto que devorei o livro num dia.

Assistam!! Recomendo muito!! Depois me contem o que acharam do filme. Sai do cinema cantarolando a linda canção (que eu amo) Sal da Terra, na doce voz de Rafa Gomes





Comentários

  1. Estou completamente louca para assistir ao filme! Não sabia que era baseado no livro, mas dessa vez não me prenderei a ler antes de assistir ao filme, se não o perco no cinema! Me parece linda a interpretação da personagem criança e quero muito me envolver com essa história maravilhosa e um pouco sofrida.
    Beijos!
    Karla Samira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karla, o livro na verdade é a história do filme!
      Assista
      Letícia, ótima atriz mirim, acaba de ser premiada!
      Bjks

      Excluir

Postar um comentário