A Caderneta Vermelha - Um Livro, Duas Impressões

A Caderneta vermelha
Antoine Laurain
Ano: 2016 
Páginas: 135 
Editora: Alfaguara

SinopseCaminhando pelas ruas de Paris em uma manhã tranquila, o livreiro Laurent Letellier encontra uma bolsa feminina abandonada. Não há nada em seu interior que indique a quem ela pertence — nenhum documento, endereço, celular ou informações de contato. A bolsa contém, no entanto, uma série de outros objetos. Entre eles, uma curiosa caderneta vermelha repleta de anotações, ideias e pensamentos que revelam a Laurent uma pessoa que ele certamente adoraria conhecer. Decidido a encontrar a dona da bolsa, mas tendo à sua disposição pouquíssimas pistas que possam ajudá-lo, Laurent se vê diante de um dilema: como encontrar uma mulher, cujo nome ele                                                                 desconhece, em uma cidade de milhões de habitantes?

Eu e a Mariana, do Cinderelas Literárias curtimos tanto ler e comentar um livro juntas, que repetimos a dose antes do combinado...rs. Livro novinho, recém lançado também. Vamos lá:

Minhas impressões:
Quando li a sinopse deste livro imediatamente fiquei muito interessada e curiosa para ler.
Adoro literatura francesa! Os últimos que li seguem o mesmo estilo, livros escritos numa linguagem mais leve, mas que têm  temas mais profundos abordados de forma sutil.
A Caderneta Vermelha começa contando a estória de Laure, que perdeu sua bolsa ao sofrer um assalto. Laurent, um livreiro parisiense, encontra a bolsa e fica curioso com os objetos que a protagonista guarda. Eu me perguntei como que uma pessoa carrega na bolsa objetos que têm um valor sentimental tão importante...
Laure fica muito chateada quando percebe que perdeu todos estes objetos, inclusive a caderneta vermelha onde registra seus pensamentos e emoções. Laurent lê estas anotações e  fica atraído por esta mulher misteriosa e encantadora e a partir daí fará tudo para encontrá-la.
Cheia de referências deliciosas, de produtos de beleza ao trabalho de restaurador de arte, este livrinho despretensioso me encantou. O autor soube dosar os ingredientes perfeitamente. Pitadas de romance, humor, expectativas de encontro, relacionamento pai e filha, literatura, tudo está aqui, arrematado no cenário maravilhoso e romântico de Paris. Ao ler o livro imaginei estas cenas transformadas em filme e ele tem tudo para agradar os cinéfilos também. Um livro delicioso para ler neste friozinho acompanhado de um belo cappuccino e um croissant. Gostei bastante e recomendo.

Impressões da Mari:
Um romance gostoso de ler numa tarde na rede, pois é curtinho e leve, sem dramas. Consegues imaginar direto um filme desta historia, e ai soube que realmente compraram os direitos de filmagem. Sem falar que é em Paris, e só por isso já vale! Uma escrita totalmente francesa. Um livro profundo mas com uma certa superficialidade de sentimentos dos personagens, na minha opinião. Dou nota 4.

Adoro esta parceria! Foi muito divertido e muito bom compartilhar a leitura com a Mari. Gostou do post? Deixe seu comente! vai ser ótimo saber sua opinião.


Comentários