Eu Li: Porta Aberta



Olá!
Hoje é dia de poesia aqui no MãeLiteratura!
Trago para vocês este livro lindo, Porta aberta, do poeta Cassio Figueira, da nossa parceira, a Editora Kiron.

Já contei aqui que ler poesias é um prazer relativamente recente e vejo que faz parte do meu processo de amadurecimento. Percebo que muitas pessoas têm dificuldade em ler e relatam que lêem poucos livros de poesias, o que é uma pena. Acredito que, infelizmente, ainda há pouco incentivo para ler este gênero literário tão rico. Por isso escrever sobre poesia é importante, muito importante.

Eu fiquei encantada com a poesia do Cassio. Seu texto reflete um amadurecimento que me emociona e reflete nosso momento atual.  Após ler o livro convidei-o para responder nossa entrevista. Nela Cassio comenta sobre a poesia. Me identifico muito com sua visão poética e compartilho com vocês:

"Sinto que a poesia exige um olhar mais contemplativo do mundo e da gente mesmo. Para isso é preciso dedicar um tempo, a mente tem que estar mais tranquila, mais liberta do automático e da correria do dia a dia".


Porta aberta é um livro muito bonito, composto por 40 poesias que refletem o cotidiano observado pelo autor. 
A capa é interessante e simbólica, gostei das cores escolhidas. Ótima diagramação da Editora Kiron, letras em tamanho confortável para leitura, bom espaçamento, páginas brancas. 
Foi uma leitura prazerosa e fluida. Um livro para se ter no seu criado mudo. Recomendo muito esta leitura inspiradora.

Sobre o autor
Cassio Figueira é natural de São Paulo, capital. Nasceu no dia 20 de março de 1968. É professor universitário com formação na área de ecologia. Porta aberta é seu segundo livro de poesias. 
Porta Aberta
Autor: Cassio Figueira
Ano: 2018
Páginas: 92
Editora: Pensamento
Classificação: 5/5
Livro cedido pela editora
Adicione no Skoob
Para comprar: Editora Kiron | Amazon

Comentários

  1. Que lindo!!
    Realmente vejo muitos leitores falando que quase não têm o hábito de ler poesias, eu já amo desde muito tempo. E gosto de ler com calma, nada de pegar o livro e já ler tudo, vou degustando um pouco por dia.
    Amei esse e a resenha ficou maravilhosa!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fê!
      Eu também!
      É isso mesmo, as poesias são para serem degustadas. E este livro merece
      Bjs e obrigada querida

      Excluir
  2. Eu leio poesia desde a infância, aliás, eu me alfabetizei através da poesia e, minha escrita (embora não saiba escrever poesias) escorrega pelo gênero. Ou seria passeia? Eu tenho paixão pelo lado poético da realidade. O vento nas folhas, o sol a dourar os telhados e a brisa a suspirar os minutos de uma tarde que não sabe se chove ou se faz sol. rs
    Não conheço o poeta e nem o livro, mas gostei do poema, deu uma sensação de aconchego.
    Nesse agosto, escolhi os livros de poesias para ser meu jardim, mas leio sem compromisso de páginas, abro e leio, sem mapas ou norte.

    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carissima, sua leitura é muito poética sim! Adoro!
      Também tenho esta sensação com o livro do Cassio.
      Bacio

      Excluir
  3. Faz tempo que não leio poesia, mas adoro a ideia de autores traduzirem por meio de palavras (sejam em crônicas, poesias, livros inteiros...) o que sentem com o mundo ao redor. Parece ser um livro lindo :)
    Adorei a resenha, chuchu. beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida
      Obrigada!!
      Sim, esta tradução é adorável mesmo :)
      Bjs

      Excluir

Postar um comentário