Espaço Infantil na Bienal do Livro de São Paulo


Olá queridos leitores
Hoje trago para dicas especiais para as mamães e papais que querem levar as crianças para visitar a Bienal do Livro de São Paulo. A Bienal preparou uma programação incrível que vai agradar os pequenos leitores. Nesta edição o espaço infantil cresceu e ganhou destaque na programação cultural da 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Eu adorei e acho que vocês também vão adorar! Vamos conferir? Espero encontrá-los lá!

Em cinquenta anos de trajetória a Bienal do Livro de São Paulo sempre trouxe novidades para crianças e jovens, incentivando a formação leitora, com diversas atividades. Para sua 25ª edição, no entanto, o evento joga ainda mais luz neste público e traz um espaço multicultural, repaginado e, bastante diferente dos anteriores: Correios – Tenda das Mil Fábulas. O nome foi escolhido em homenagem ao convidado de honra desta edição, Sharjah, nos Emirados Árabes, e faz referência a uma obra bastante representativa na cultura árabe: o Livro das Mil Fábulas, conhecido no ocidente como o Livro das Mil e Uma Noites.

De 3 a 12 de agosto, o visitante encontrará renomados autores infanto-juvenis, conhecerá mais sobre culturas como a africana, a cultura árabe e descobrirá o prazer do livro e suas facetas. Com curadoria da narradora de histórias e gestora cultural Daniele Ramalho e coordenação da CBL (Câmara Brasileira do Livro), o espaço traz atrações com foco em três eixos: a diversidade cultural brasileira, a diversidade humana e a conectividade entre pessoas e histórias. Em todas as atividades, estão presentes fábulas, lendas, histórias, contos e mitos. A programação foi montada para abarcar não só as crianças, mas diversas gerações e também os educadores, com mediações de leitura, apresentações musicais - que se mesclam com narrações – e destaca, ao longo dos 10 dias, a importância da literatura infantojuvenil, escritores e ilustradores.

Entre os autores e ilustradores que participarão da Tenda estão: Ana Maria Machado, Lázaro Ramos, Eva Funari, Pedro Bandeira, Ziraldo, Mauricio de Sousa, Ilan Brenman, Graça Lima, Januária Alves e Maurício Negro.

O espaço em formato de Tenda conta também com um acervo de 900 títulos, que podem ser manuseados pelos visitantes. As obras disponibilizadas pelas editoras participantes serão doadas, após o término da feira, para a Instituto Ecofuturo, voltado para ações de consciência ambiental.

"Tivemos a preocupação de criar um espaço que pudesse celebrar o universo da literatura infantojuvenil e destacar o papel fundamental que ela tem na formação do olhar e no processo educativo, do conhecimento e da formação cidadã. Para isso, criamos uma amplitude de abordagens significativas e trouxemos nomes que formaram muitas gerações leitoras", diz a curadora, Daniele Ramalho.

Para dar início às atividades, no dia 3 de agosto, às 17h, a Tenda recebe a escritora Ana Maria Machado, o pesquisador de literatura árabe, Mamede Mustafá Jarouche, e a ilustradora Graça Lima, numa mesa com o tema "Mil Fábulas para a infância", onde os especialistas vão falar, a partir das "Mil e Uma Noites", da importância das fábulas na infância – na escrita e na ilustração e sobre o trabalho de transmitir tradições e culturas distintas para a literatura.

As tradições indígenas e suas histórias também ganham espaço na programação com importantes escritores que se debruçam sobre o tema, entre eles, Daniel Munduruku, Olivio Jekupé, Cristino Wapixana e Yaguarê Yamã. Já para falar sobre a cultura africana participam do espaço autores como Janaina Tokitaka (A Princesa Africana/Pallas).

Artistas e intervenções
Todos os dias, para o encerramento da programação, das 18h30 às 20h, um grupo de narradores de histórias e músicos realizam atividades de mediação de leitura e apresentam o espetáculo: "Mil Fábulas: os contos das Mil e Uma Noites", para contar histórias como a de Sherazade e outras ricas personagens da literatura árabe. Entre os artistas que participam da iniciativa estão: o músico Carlinhos Ferreira, a atriz Ana Luiza Lacombe, a moçambicana Lenna Bahule e a Orquestra Mundana, formada por músicos imigrantes e refugiados de países como Irã, Líbano e Arábia Saudita.

Mediação e educação
Para destacar também a importância do livro como instrumento educativo, o espaço infantil da Bienal Internacional do Livro de São Paulo conta ainda com uma série de atividades de mediação, com oficinas que mostram como aproximar o leitor dos livros e da leitura, apresentando obras infantojuvenis de diversos gêneros literários. Voltada para educadores e público geral, essas ações completam o pacote de novidades do Correios – Tenda das Mil Fábulas.

Sobre a Bienal
A Bienal Internacional do Livro de São Paulo é realizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), de 3 a 12 de agosto, no Pavilhão do Anhembi. Com 14 espaços culturais conta com 1500 horas de atividades, além de diversos selos editoriais e ações de incentivo à leitura.




Comentários

  1. Olá, amiga!!! Que postagem belíssima! Como moro no Rio, não vejo a hora de que chegue a próxima edição! Rsrs! E que bacana sabermos que o incentivo para crianças e jovens à leitura está sempre sendo inovado! No ano passado, realizamos, eu e minha filha, o sonho de conhecermos Ziraldo! Pude ver aqui que, como sempre, autores incríveis irão! Estarei, com certeza, acompanhando as suas postagens a partir da próxima semana!
    Beijocas!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei!!
    Acho tão bom o incentivo a leitura logo cedo e esse espaço vai ficar fantástico pelo visto.
    Vou acompanhar tudo!

    bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário