Top 10 - 2015

O ano está no finalzinho e venho pensando na minha lista de Top 10 deste ano. Não foi fácil chegar nestes livros. Li muitos livros bons neste ano e sempre acho difícil chegar nos dez melhores. 
Bem, algumas curiosidades que me deixaram feliz. Dos 10 livros, sete são nacionais, e este era um desejo para este ano, ler mais autores nacionais (os outros são dois africanos, um francês). Outra proposta era ler mais livros da minha biblioteca, dos 10 escolhidos, 7 são meus (dois foram de bibliotecas e um emprestado por amigos). 
Vamos lá, esta lista não é de preferência, mas de ordem de leitura:
A Cabeça do Santo (Socorro Aciolli): uma delícia de livro! Ficou ainda mais especial ao ser escolhido como nosso primeiro livro discutido no Clube de Leitura. Um livro que mescla aridez do sertão com uma ternura infinita. A escrita da Socorro é muito linda!


Teoria Geral do Esquecimento (José Eduardo Agualusa): Que livro é esse?!?! Foi assim que acabei este livro. Um livro impactante, muito bem escrito, que me fez refletir muito sobre escolhas, medos e expectativas. Tive o prazer de assistir o Agualusa na Paulicéia Literária deste ano e minha admiração pelo seu trabalho só aumentou. Outros títulos dele estão na minha lista de futuras leituras.
A Vida que Ninguém Vê (Eliane Brum): Neste ano percebi que crônica é um dos meus gêneros literários preferidos. Três dos meus escolhidos aqui são livros de crônicas. Amo! São leituras que me fazem refletir, que trazem uma leveza, um respiro na minha correria diária. Sou muito fã da escrita da Brum. Na minha opinião uma das melhores escritoras nacionais. Este livro traz uma temática muito interessante, conta sobre pessoas que não chamam tanta atenção e que aqui tem suas vidas narradas. Um exercício incrível. 
Aos 7 e Aos 40 (João Anzanello Carrascoza): Este ano um dos grandes presentes foi conhecer a escrita do Carrascoza. Que poética! Que lindo seus textos! Tive ainda a oportunidade de dizer isto a ele pessoalmente, o que foi outro presente. Este seu primeiro romance é de uma força e ao mesmo tempo de uma delicadeza impressionantes. Li ainda três livros de contos e crônicas e amei todos.
Nu, de Botas (Antonio Prata): Você vão ver este livro em outro post. Uma amiga querida pediu para que eu escolhesse um livro preferido de 2015 (sim, isto é muito, muito difícil...) e escolhi este livro. Meu queridinho do ano. Um livro simplesmente DELICIOSO! Ri, me emocionou...balançava cabeça concordando com o Prata durante o livro todo. Ele simplesmente retratou minha infância  adolescência. Um presente maravilhoso. Foi ainda mais especial porque discutimos também no nosso Clube de Leitura.
Essa Coisa Brilhante Que É A Chuva (Cintia Moscovich): A escrita da  Cintia é muito forte e bonita e me lembra muito a escrita da Brum, sua conterrânea. Comentei com ela sobre isso, quando a conheci pessoalmente na Paulicéia Literária deste ano e ela toda faceira brincou que é porque a guria é da terra dela também. Viajei nas suas crônicas. Rendeu ótima discussão num dos Clubes de Leitura da AASP. Que belo trabalho! Ainda mais belo porque foi uma superação da Cintia terminar de escrevê-lo, ao superar um tratamento de um câncer agressivo. Premiado, com muito merecimento.
Ainda Estou Aqui (Marcelo Rubens Paiva): Quando soube do lançamento deste livro, fiquei doida para ler. Adoro a escrita do Marcelo e o acompanho desde Feliz Ano Velho. Aqui Marcelo conta sobre sua mãe, vítima do Mal de Alzheimer e sobre os detalhes do desaparecimento do seu pai, durante os anos de chumbo da ditadura. Também discutimos no nosso Clube de Leitura e foi uma discussão maravilhosa e muito reflexiva. Um relato muito corajoso e verdadeiro.
Um Rio Chamado Tempo, Uma Casa Chamada Terra (Mia Couto): Mia é sempre um presente, uma leitura muito prazerosa. Muito me impressiona a capacidade deste autor de brincar com as palavras e com a realidade fantástica. Este livro vem ocupar meu coração, dividindo espaço com Terra Sonâmbula, meu livro favorito dele até então. Adorei tudo, os nomes dos personagens, o enredo, a sinopse e as surpresas que são a cara deste incrível escritor, de fala mansa e gestos ternos. Discutimos no clube da leitura da AASP e tive a honra de assisti-lo mais uma vez na Paulicéia Literária deste ano.
O Leitor do Trem das 6H27 ( Jean- Paul Didierlaurent):Apaixonante! Um livro fininho que tomou meu coração. Uma leitura deliciosa, leve e ao mesmo tempo profunda. Jean-Paul tem um senso de humor muito refinado, sutil e delicioso! Este livro inspirou um projeto para 2016 que assim que for colocado em prática conto para vocês. Não deixem de conhecer este livro. estou doida para ler os livros de crônicas dele, premiados na França.
O Oitavo Selo (Heloisa Seixas): Sabe aquele livro que você sabe que vai te pegar de jeito, mesmo antes da sua leitura?! Este com certeza foi um deles. Estava doida para ler, lamentei ter perdido a participação dela na Paulicéia Literária deste ano e pedi este livro de amigo secreto (e ganhei da fofa da minha amiga secreta!). Por tudo isso ele é muito especial. Já tinha lido um livro delicioso dela, O Prazer de Ler. Amei este também! Adoro histórias de superação. Heloisa é casada com o escritor Ruy Castro e aqui narra episódios envolvendo doenças e outras dificuldades de forma muito verdadeira e emocionante, sem ser piegas. Muito bom!

Leu algum deste livros? Gostou das minhas escolhas?
E você, quais foram os livros que mais gostou neste ano? Você fez seu Top 10?
Me conta.

Comentários

  1. Muito dez o seu Top, muitos livros estão na minha lista!Da Eliane Brum eu li um outro com o título Uma, Duas, gostei demais da narrativa dela. Do Agualusa, li somente O Vendedor de Passados, quero muito ler a Teoria Geral do Esquecimento...enfim, preciso ler mais nacionais também! Meu Top: O Rei do Inverno - Bernard Cornwell
    O Último Reino - Bernard Cornwell
    O Cemitério - Stephen King
    O Palácio de Inverno - John Boyne
    O Vilarejo - Raphael Montes
    A Cor do Leite - Nell Leyshon
    O Grande Ivan - Katherine Applegate
    Soldier - Leal até o fim - Sam Angus
    A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart
    Até Você Ser Minha - Samantha Hayes

    ResponderExcluir
  2. Ano que vem vou tentar ler Teoria Geral do Esquecimento, eu tenho o livro mas esqueci ele em cima de uma cadeira e era perto da janela, choveu e molhou. Chega chorei de raiva kkkkkk mas não estragou muito.

    ResponderExcluir
  3. Ano que vem vou tentar ler Teoria Geral do Esquecimento, eu tenho o livro mas esqueci ele em cima de uma cadeira e era perto da janela, choveu e molhou. Chega chorei de raiva kkkkkk mas não estragou muito.

    ResponderExcluir
  4. Adorei!! Do seu Top 10 quero ler O Leitor do Trem das 6h27. Eu gostei muito de ler Eliane Brum, esse livro é ótimo, e Mia Couto, um encanto :)

    Meu Top 10 (fiquei dividida na escolha de alguns livros,coração partido por ter que deixar outros de fora rsrsrs)
    1. It A Coisa - Stephen King
    2. O Último Reino - Bernard Cornwell
    3. O Vilarejo - Raphael Montes
    4. O Livro do Cemitério - Neil Gaiman
    5. O Planeta dos Macacos - Pierre Boulle
    6. Escuridão Total sem estrelas - Stephe King
    7. As Espiãs do Dia D - Ken Follett
    8. Quase Uma Rockstar - Matthew Quick
    9. A Cor do Leite - Nell Leyshon
    10. O Grande Ivan - Katherine Applegate

    ResponderExcluir
  5. Adorei suas escolhas e anotei para futuras leituras! Ainda não parei pra pensar nas 10 melhores desse ano, mas fiz leituras muito boas!

    ResponderExcluir
  6. Nossa Clau não li nenhum desses livros ainda, ou seja, dez livros a mais na minha lista de 2016!!!!
    Super beijos e que 2016 possamos ler mais....Ah e nos conhecer!!!
    http://meusamoresvariedades.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não li nenhum desses, apenas 3 da tua lista tinha ouvido falar. Eu fiz a minha lista dos top 10, mas coloquei no meu instagram: @lu_pitadas
    Bjos, Lú.

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito das suas escolhas! Também li A cabeça do santo e Nu, de botas em 2015 e foram algumas das minhas leituras favoritas. Fiquei curiosa para ler O leitor do trem das 6h27, e preciso ler algo do Mia Couto e do José Eduardo Agualusa, conheço pouquíssimo de literatura africana lusófona... Quem sabe esse ano?
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário