Livro: Sísifo, Verena Kent - Editora Cultrix

De Repente nas Profundezas do Bosque - Minhas Impressões

Imaginem uma estória onde todos os bichos, desde os maiores até os infinitamente menores desaparecem. Uma aldeia triste, onde o sumiço dos bichos é o tema deste livro bonito. 
Ele também trata sobre ser diferente, sobre fugir dos padrões. Através de duas crianças que ousam desafiar a proibição imposta na aldeia, acompanhamos as descobertas da dupla, torcendo por um desfecho diferente.
Fiquei refletindo como seria minha vida sem os animais por perto. Sem meu Zacarias (meu filho peludo), sem meus cachorros que passaram pela minha vida até hoje...sem os pássaros, enfim, sem uma boa parte de vida. Tudo bem que seria ótimo não conviver com baratas, aranhas e cobras, mas...seria uma vida muito diferente...
Achei o texto poético e muito bem escrito.
É o primeiro livro que leio do Amós Oz e acho que comecei muito bem. Leitura leve e rápida, li numa tarde. A capa do livro é linda e colorida, diagramação boa, tamanho da letra super confortável. Editora Seguinte caprichou.

De repente nas profundezas do bosque - Numa pacata aldeia onde não existe bicho algum, seja ele quadrúpede, peixe, réptil, pássaro ou inseto, as crianças são proibidas de entrar no bosque vizinho, onde, segundo os adultos, reina Nehi, o demônio das montanhas. Quem se embrenhou por lá não voltou, ou então voltou avariado. Na escola, a solitária professora Emanuela desenha e descreve os animais que chegou a conhecer em sua infância, mas os alunos riem dela, pois seus pais lhe asseguram que tais seres não passam de lendas malucas e perigosas. Dois dos alunos, porém, não se satisfazem com as explicações dos adultos e resolvem se aventurar pelo bosque para ver com os próprios olhos o que existe lá. Habituado a discutir com originalidade e lucidez, tanto em seus livros como em sua militância pessoal, os grandes dilemas políticos e sociais de nossa época, Amós Oz mergulha aqui no registro da fantasia para tratar de temas como a discriminação, a convivência com o outro e a integração do homem com a natureza. O livro é uma fábula estranha e encantadora sobre a importância da independência de espírito como antídoto à intolerância e ao obscurantismo. Uma fábula, como ele mesmo declarou, para todas as idades. Skoob
Sobre o autor:
Amós Oz nasceu em Jerusalém, em 1939. Considerado um dos melhores escritores israelenses da atualidade, já foi traduzido para mais de 22 línguas. Atualmente mora em Arad, no deserto de Neguev, dedicando-se à militância em favor da paz entre árabes e israelenses e ao curso de literatura hebraica que leciona na Universidade Ben-Gurion. Sua obra é marcada por personagens que sofrem de solidão, conflitos interiores e desenraizamento, reflexo da realidade atual de Israel. Sua obra também foi fortemente influenciada, segundo ele, pelo suicídio da mãe durante sua infância. Tudo isso se reflete na sua criação, onde a temática da fragilidade da natureza humana é constante. (Skoob)

Este livro foi lido para o Desafio Literário Skoob 2015, do mês de  agosto: ler um livro sobre mitologia ou folclore.

Comentários