Mundos de Eufrásia: Desafios Literários


"O romance revela a real e conturbada história do amor impossível entre o abolicionista Joaquim Nabuco e Eufrásia Teixeira Leite, uma mulher muito à frente de seu tempo. De forma atípica para os padrões da época, Eufrásia foi criada pelo pai para ser a herdeira e gestora de sua imensa fortuna."


Há algum tempo vi uma entrevista da autora com um repórter de uma emissora de TV e desde então estava curiosa para ler este livro.
Consegui pegá-lo na biblioteca. 
Narra a história de Eufrásia, uma mulher muito à frente do seu tempo. Criada, assim como sua irmã, para ser independente e não ser submissa ao marido. Viveu um amor proibido e escondido, já que estamos falando de épocas onde o preconceito era muito grande. Uma mulher inteligente, admirada pelo seu trabalho, que ofuscava os homens no manejo dos negócios.
Eufrásia faz uma promessa ao pai, de não se casar e não abandonar a irmã, que também fez a mesma promessa. O tema pode parecer pesado, mas o livro é muito interessante.
Este livro mostra o caminho que a mulher enfrentou nestes anos, lutando contra preconceitos, buscando o amor, convivendo com pessoas com mentalidades retrógradas, características do seu tempo.
Acho biografias muito interessantes e esta em especial é ótima. Claudia Lage soube conduzir muito bem esta história.
Indico a leitura!

Veja a página no SKOOB

Este livro faz parte do Desafio Literário 2013 - Janeiro - Tema Livre
E também do Desafio Realmente Desafiante 2013 - Desafio Nº 5: Ler um livro que o autor tenha a mesma inicial que a sua.




Comentários

  1. Clau, eu vi que vc estava lendo esse livro e me interessei muito! Adorei sua resenha, fiquei mais curiosa ainda por ler. Que tals me emprestar no mercado paralelo hein?? hehe!
    bjao

    ResponderExcluir
  2. Hoje é Valentine's Day aqui no Canadá, e estou passando pra deixar um abraço carinhoso para as minhas amigas blogueiras mais queridas!
    Sinta-se abraçada por mim nessa quinta-feira!!
    Beijos!

    www.asosmamaenadia.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário